Capitão Thiago Silva alerta que assédio de clubes pode atrapalhar Seleção olímpica

Zagueiro, que acertou recentemente sua transferência para o Paris Saint-Germain, também pediu desculpas a torcedores do Milan pela saída

Valdomiro Neto - 19/07/2012 - 09:49 Enviado especial a Saint Albans (GBR)

Treino da Seleção Brasileira em Londres - Thiago Silva (Foto: Mowa Press)

Em meio à preparação brasileira para a disputa da Olimpíada, como sempre acontece em grandes competições de seleções, jogadores são assediados por clubes que desejam contratá-los. Mas, ao contrário do discurso de praxe, o zagueiro e capitão da equipe de Mano Menezes, Thiago Silva, foi explicito ao dizer que esse tipo de situação tira o foco dos atletas. O jogador, que fechou há poucos dias contrato com o novo milionário Paris Saiint-Germain, fez a afirmação em sua primeira entrevista desde que firmou a transferência:

- Para ser bem honesto, às vezes isso atrapalha. Você está focado em uma competição como essa e entra num site dizendo que fulano vai ficar ou beltrano vai sair... É difícil pra gente. Tive essa transsferência recente e foi um pouco difícil para mim enquanto não tinha nada decidido, É importante decidir o mais rápido possível. Hoje to focado 100% na Seleção. Torço para que os outros jogadores, que estão nessa aflição de ir ou não ir, que resolvam logo. Porque é ruim - declarou o jogador em coletiva concedida no hotel em que a equipe está hospedada, em Saint Albans (GBR)

Minutos antes, o técnico Mano Menezes tinha dado declaração bem diferente a respeito desse assunto. Para o treinador, essas situações são corriqueiras, fazem parte do mercado, e a Seleção não sofre interferência disso.

- Temos que lidar com isso com naturalidade. Sempre na metade do ano o futebol brasileiro convive com situações como essa. Já foi pior porque a saída de jogadores daqui já foi maior. Aqui, como a Seleção é composta por jovens jogadores, também está acontecendo. É do direito individual de cada um. Não to vendo nenhum tipo de prejuío no trabalho do dia dia.

Thiago Silva mostrou um misto de felicidade e frustração com a saída do Milan para a equipe francesa, que também contratou nesta semana o atacante sueco Ibrahimovic. O zagueiro disse que não queria sair e afirmou que outros fatores alheios a ele tiveram participação decisiva, mas não especificou quais.

- Fiquei feliz com a transferência e triste pela saída do Milan porque foi um clube em que vive muitas fortes emoções. Agradeço ao Berlusconi e ao Galiani porque vivi com eles momentos extraordinários na minha carreira. Futebol é isso, um dia você está aqui, outro ali. Tinha renovado com eles uma semana antes. As pessoas chamam de mercenário, o que me deixa chateado. Não estou indo ganhar mais lá. A culpa não é minha, peço desculpas ao torcedor.

Ao ser questionado sobre quais fatores pesaram para a saída, o zagueiro deixou o mistério no ano:

- Para as pessoas que estão de fora do futebol não pinga letra. Foi uma situação complicada para mim. Minha vontade e dos meus familiares era não sair do Milan. Mas foi uma coisa positiva porque o Leo (Leonardo, ex-jogador brasileiro e atualmente diretor esportivo do PSG) e o Ancelotti (italiano que é técnico da equipe francesa) me ligaram. No início da minha transferência para o Milan também havia sido o Leo que me ligou. É um cara que tenho carinho muito grande. O PSG é o time dos sonhos hoje, como o Ibrahimovic falou ontem (quarta).

Você comentarista: