Messi enfim decide e Argentina vence Brasil no fim

Camisa 10 fez o gol da vitória argentina no último minuto de jogo, numa bela arrancada

LANCEPRESS! - 17/11/2010 - 17:07 Doha

Brasil x Argentina - Messi - foto: Divulgação CBF

Quem disse que talento não resolve jogo? Pois como um jogador que é considerado o melhor do mundo leva em suas costas a carga de jamais ter decidido um jogo por sua seleção? Essa era a descrição de Messi com a camisa da Argentina. Era, até esta quarta-feira. Pois Messi, em uma jogada genial, digna de Maradona, resolveu o jogo no último minuto. A Argentina venceu o Brasil por 1 a 0, no Khalifa International Stadium, em Doha, no Qatar, com um gol aos 46 minutos.

FOTOS: Confira a galeria do amistoso em Doha!

O JOGO

O Brasil fez um ótimo primeiro tempo, embora não tenha conseguido o gol. O time mostrou fluidez na troca de passes, o que já vem sendo marca registrada dessa equipe de Mano Menezes.

A Seleção teve mais posse de bola e envolveu o esforçado time argentino. Principalmente Neymar e Ronaldinho davam trabalho à envelhecida defesa da Argentina. O jogador do Santos se aproveitava do espaço dado pelo lateral-direito Zanetti, que tecnicamente é muito bom mas já está envelhecido e não teve velocidade suficiente para encarar o camisa 11 brasileiro.

No primeiro tempo, o Brasil teve duas chances claras de abrir o placar. A primeira delas aos 18 minutos, num chute no travessão de Daniel Alves. O lateral-direito continuava sendo um dos principais jogadores da seleção de Mano Menezes.

Três minutos depois, Ronaldinho mostrou que talento não se esquece. Nem mesmo após um exílio de um ano e sete meses. O Gaúcho concluiu jogada de escanteio de maneira magistral, de calcanhar. O goleiro Romero fez grande defesa.

O lance pareceu ter acordado a Argentina, que passou a rondar perigosamente a área brasileira. Aos 28 minutos, depois de escanteio, Pareja quase marcou de cabeça e foi a vez de Victor salvar o Brasil. No último momento de perigo do primeiro tempo, Messi resolveu fazer o que sabe: jogar futebol.

O meia argentino pareceu realmente ficar intimidado ao vestir a camisa da Argentina. Porém, o jogador do Barcelona assustou o goleiro brasileiro com um chute de fora da área. A bola triscou a trave direita de Victor.

A Argentina voltou para o segundo tempo marcando a saída de bola do Brasil. Lavezzi, que substituiu no intervalo Higuaín, deu muito mais velocidade pelo lado direito. E foi por ali que o jogador do Napoli criou uma chance perigosa logo aos dez minutos. Ele passou por André Santos e cruzou, Victor afastou. O atacante Pastore chutou, a bola bateu no braço de Thiago Silva. Os argentinos pediram pênalti, mas o árbitro nada marcou.

Aos poucos os treinadores foram fazendo suas alterações e o ritmo de jogo mudou. Sergio Batista colocou D'Alessandro no lugar de Pastore, enquanto Mano Menezes tirou Ronaldinho, que já estava cansado, para colocar Douglas, e depois André entrou na vaga de Neymar. A velocidade do jogo caiu. Estava ficando tão chato, que um torcedor resolveu invadir o campo. O cidadão correu metade do campo, até ser contido pelos policiais.

Quando tudo parecia decidido, Douglas perdeu a bola no meio-de-campo. Como que buscando um pé talentoso, ela foi parar com Messi. O camisa dez fez uma fila, driblando cada jogador de camisa amarela que aparecia pela frente. Quem poderia pará-lo? Ninguém...E a bola morreu no fundo do gol de Victor. Sim, Messi com a camisa da Argentina é mesmo gênio do Barcelona.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 0 X 1 ARGENTINA

Estádio: Khalifa International, em Doha (QAT)
Data-Hora: 17/11/2010 - 15h (de Brasília)
Árbitro: Abdala Balideh (QAT)
Cartões amarelos: Mascherano e Messi (ARG)
Gols: Messi 46'/2ºT (1-0)

BRASIL: Victor, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e André Santos; Lucas, Ramires (Jucilei 40'/2ºT) e Elias; Robinho, Ronaldinho (Douglas 27'/2ºT) e Neymar (André 31'/2ºT) - Técnico: Mano Menezes.

ARGENTINA: Romero, Zanetti, Pareja, Burdisso e Heinze; Mascherano, Pastore (D'Alessandro 24'/2ºT) e Banega; Messi, Di María e Higuaín (Lavezzi - Intervalo) - Técnico: Sergio Batista.

Você comentarista: