LANCENET! acompanhou a saída de Leão, que teve vários capítulos

Reportagem esteve em cima de todas as brigas com diretoria, torcida e jogadores. Fatores foram determinantes para a demissão

LANCEPRESS! - 26/06/2012 - 14:05 São Paulo (SP)

Emerson Leão - São Paulo (Foto: Miguel Schincariol)

Desde o início do ano, Emerson Leão, mesmo com o aval da diretoria para trabalhar, esteve por diversas vezes na corda bamba para ser demitido. A saída, que se confirmou na manhã desta terça-feira, ganhava força a cada dia, como acompanhou de perto e noticiou a reportagem do LANCENET!.

Desde domingo, um dia depois da derrota para a Portuguesa, a diretoria já pensava em encerrar o ciclo do treinador. Prova é que o nome de Vadão, do Guarani, é um dos cogitados pela direitoria, em pé de guerra com Leão há muito tempo.

Em uma de suas entrevistas coletivas, o ex-técnico do Sampa chegou a, com ironia, parabenizar os campeões estaduais que deixaram o clube no início do ano. Alguns resultados maquiavam a má relação com a cúpula.

Leão não é mais o treinador do São Paulo

O que também pesou para a saída do treinador foi o relacionamento ruim com os atletas e a falta de treinos táticos para organizar o time. Apesar de eliminações no Paulistão e na Copa do Brasil, Leão continuava se gabando de seu índice nos oito meses de trabalho.

Mesmo com todos os problemas de Leão no Tricolor, o presidente Juvenal Juvêncio, que comunicou a demissão, bancava o técnico mesmo em caso de eliminação na Copa do Brasil. Depois, com a queda, manteve o discurso e falou em trabalho razoável.

Na manhã desta terça-feira, mais uma troca de técnico. O aulixiar Milton Cruz assume interinamente, enquando a cúpula procura um substituto. Desde a saída de Muricy Ramalho, em junho de 2009, Ricardo Gomes, Sérgio Baresi, Paulo César Carpegiani, Adilson Batista e Leão já estiveram à frente da equipe.

Você comentarista: