Lesão muscular afasta Ganso por seis semanas

Diferentemente da previsão inicial, meia para por mais de um mês e pode até perder eventual final da Libertadores

LANCEPRESS! - 09/05/2011 - 11:58 São Paulo (SP)

Ganso machucado (Foto: Miguel Schincariol)

A lesão sofrida na partida contra o Corinthians, neste domingo, vai tirar Paulo Henrique Ganso dos gramados por mais tempo do que o previsto inicialmente. Na manhã desta segunda-feira, o Departamento Médico do Santos confirmou que o meia ficará afastado dos gramados nas próximas seis semanas, devido a contusão no músculo reto anterior da coxa direita.

As notícias sobre a recuperação de Ganso chegam no seu celular!

Após exames realizados neste domingo, a expectativa era de que o camisa 10 parasse por "apenas" 30 dias, por se tratar de uma lesão de grau dois, normalmente recuperada em quatro semanas. Entretanto, segundo Rodrigo Zogaib, médico do Santos, como o músculo atingido é um dos maiores da região da coxa e muito exigido na prática do futebol, o tempo de recuperação será de seis semanas.

- Normalmente, o tempo de recuperação de uma lesão muscular de grau dois é de quatro semanas. Mas no caso do PH Ganso, este tempo será de seis semanas, já que o músculo reto anterior é fundamental para o equilíbrio e força na prática de futebol. Na recuperação, vamos utilizar um método adjuvante para o tratamento de lesões musculares, chamado PRP (plasma rico em plaquetas) - explicou Zogaib.

Veja como foi a lesão de Ganso no clássico

Desta forma, o maestro do Peixe pode perder até a final da Copa Santander Libertadores, caso o Peixe avance até as decisão. O primeiro jogo da final está marcado para o dia 15 de junho e o segundo acontece na semana seguinte.

De acordo com o médico santista, o atual problema muscular de Ganso não tem qualquer relação com a lesão em um dos ligamentos do joelho esquerdo, sofrida em agosto do ano passado e que deixou o meia afastado por certa de seis meses.

- Foi uma lesão traumática, causada pelo mecanismo do movimento que o atleta executou naquele lance. Ele estava em desequilíbrio, com o joelho direito apoiado no chão, e tentou chutar com a perna esquerda. Neste momento, a músculo da coxa direita sofreu uma contração, o que causou a lesão. Por isso, não há nenhuma relação com a lesão no joelho que o atleta teve no último ano e nem com um eventual stress muscular pela sequência de jogos - disse o médico.

Você comentarista: