Direção atende pedido por Barueri, mas argumentos do grupo não 'convencem'

Torcida perto e ‘campo menor’ pesam na escolha do palco da final da Copa do Brasil. Problemas são deixados de lado

Fabricio Crepaldi
Guilherme Cardoso
- 26/06/2012 - 07:02 São Paulo (SP)

HOME Palmeiras em Barueri (Foto: Eduardo Viana)

Está confirmado. A primeira partida da decisão da Copa do Brasil entre Palmeiras e Coritiba vai ser disputada na Arena Barueri, dia 5 de junho, às 21h. A diretoria palmeirense optou pelo local após um pedido dos jogadores. A CBF aceitou. Mas jogar em Barueri realmente pode fazer a diferença?

Os jogadores foram unânimes na definição do local da partida. Com as reformas no Palestra Itália, eles adotaram a Arena como a nova casa do Verdão. Mesmo com títulos já conquistados no Pacaembu e no Morumbi, eles não se sentem bem nesses locais. Além disso, apontam outros dois fatores positivos.

Segundo os palmeirenses, a torcida fica mais perto e pressiona muito os adversários em Barueri. As dimensões do gramado também ajudariam, já que o Alviverde é mais marcador e o Coritiba se destaca pela velocidade do ataque.

No entanto, o tamanho do gramado da Arena é maior do que o Pacaembu e só um pouco menor do que o Morumbi (veja ao lado).

– É um campo pequeno e a torcida fica mais próxima. É nosso 12 jogador. Cada jogo em Barueri está sendo muito bom, nos sentimos mais fortes lá. Esse é o diferencial – disse o zagueiro Maurício Ramos ao LANCENET!.

– O Coritiba é muito rápido e nosso time é mais pegador. Em campos grandes, ficamos um pouco perdidos. Lá, é pequeno. É ter tranquilidade, fazer os jogos da nossa vida nessa decisão – completou o palmeirense.

O presidente Arnaldo Tirone acredita que os problemas enfrentados por torcedores para chegar ao local, como na partida contra o Grêmio, por conta do trânsito, agravado com a forte chuva, não serão repetidos. E faz um apelo à polícia e aos órgãos de trânsito das duas cidades. Nem mesmo o fato de conseguir uma renda maior no Morumbi mudou a escolha do dirigente.

– Quando você ganha o título, o cofre do clube automaticamente é melhorado. Quanto vale um título da Copa do Brasil? Só estamos pensando nisso – afirmou o dirigente em entrevista à Rádio Estadão/ESPN.

Na Copa do Brasil de 2012, o Palmeiras só jogou fora de São Paulo. Foi uma partida em Jundiaí e outros três compromissos em Barueri.

Coritiba já fez a festa em Barueri

Em 18 partidas, o Verdão tem duas derrotas em Barueri. Uma foi para o Fluminense, em 2010. Já a outra aconteceu justamente para o Coritiba. No dia 6 de novembro de 2011, o Palmeiras levou 2 a 0 do Coxa, pelo Campeonato Brasileiro. Depois desse tropeço, os palmeirenses emplacaram 22 partidas sem derrota e não perderam mais dentro de sua “nova casa”.

Por que a Arena Barueri?

Torcida perto
O torcedor fica mais próximo ao campo. Assim, a pressão em cima do adversário é maior. O time se sente mais apoiado.

Aluguel menor
O aluguel é menor que no Pacaembu e Morumbi. Não chega a 5% da renda.

Marcação mais fácil
Apesar de o campo ser maior do que o Pacaembu, os atletas acham o local acanhado, o que facilita a marcação.

Retrospecto
O Alviverde costumar bem na Arena. Em 18 jogos, foram só duas derrotas.

Confira um bate-bola exclusivo com o zagueiro Maurício Ramos:

LANCENET!: Gostou da escolha de Barueri para a final da Copa do Brasil?
Maurício Ramos: Gostei. É um lugar onde o grupo se sente bem. Conseguimos fazer os resultados lá. Agora, é a torcida apoiar para atingirmos o objetivo.

LNET!: Como foi tomada a decisão dos jogadores em atuar na Arena?
MR: Primeiro, o Galeano (supervisor) veio conversar e, depois, o presidente perguntou. Decidimos que seria em Barueri, porque lá vem dando resultado. Então, não tem de mexer. Jogar no Morumbi e no Pacaembu é praticamente fora de casa. Lá. nos sentimos em casa. Foi uma decisão de todo o grupo.

LNET!: A torcida teve dificuldade para chegar em Barueri no jogo contra o Grêmio. Vocês também tiveram problemas? Isso preocupa?
MR: A gente tem os batedores da Polícia Militar e facilita. A torcida tem mais dificuldade. Quem mexe com o trânsito teria de abrir outras vias perto de Barueri. É difícil para todos. Quem pretende prestigiar, tem de tentar sair mais cedo de casa e do trabalho para ir para a decisão.

LNET!: Vocês nem cogitaram atuar no Morumbi ou no Pacaembu?
MR: Não consideramos esses estádios nossa casa. Adotamos Barueri. Lá, os resultados estão vindo.

LNET!: Dá para não pensar decisão?
MR: É difícil, mas precisa ter tranquilidade. Felipão está tentando nos colocar para cima. Precisamos ter o mesmo espirito no Brasileiro.

Confira um bate-bola exclusivo com o presidente Arnaldo Tirone:

LANCENET!: Jogar no Morumbi ou no Pacaembu não seria melhor por causa da renda da partida?
Arnaldo Tirone: No Pacaembu, a renda seria só um pouco maior. No Morumbi, tudo bem, mas lá o campo fica longe. Em Barueri, a torcida fica em cima, é mais motivador. Os jogadores sentem-se bem. O mais importante é estar bem psicologicamente e motivado. Prefiro Barueri, porque nos classificamos lá. Tem o inconveniente do acesso. Mas o problema contra o Grêmio é que estava chovendo e o trânsito em São Paulo era grande. Tenho certeza de que estará melhor.

LNET!: Como melhorar o acesso?
AT: Vamos tentar uma melhor logística com a Polícia Militar e o pessoal do trânsito. O prefeito de Barueri tem interesse em ajudar. É um local lucrativo, o custo é quase zero. O grande problema é que não temos estádio hoje. O Palestra era um dos nossos fortes.

Veja a opinião do editor do LANCE!, Thiago Rocha:

"Se a diretoria do Palmeiras escolheu Barueri como casa na Copa do Brasil, nada mais coerente do que jogar a final lá. A questão, no entanto, são os argumentos, problema crônico dessa administração que nunca sabe se explicar a respeito de nada. Justificativas como a “mística” (?) da Arena Barueri, como se lá houvesse uma conjunção cósmica ou recebesse vida de outro planeta, são patéticas e desqualificam qualquer atitude, mesmo as que se mostram acertadas.

O Pacaembu seria opção melhor. Por ser numa quinta à noite, facilitaria demais o acesso do torcedor. A preferência dos jogadores deve ser ouvida e respeitada, mas quiseram saber a opinião de quem paga ingresso? Descartar o estádio porque é a “casa do Corinthians” é outra enorme balela."

Você comentarista: