De virada, Vasco bate a Ponte Preta e assume a ponta

Cruz-Maltino perdia por 2 a 1, mas na etapa final consegue virar e vence por 3 a 2. Time agora torce contra o Atlético-MG

LANCEPRESS! - 30/06/2012 - 20:31 Rio de Janeiro (RJ)

As imagens de Vasco 3 x 2 Ponte Preta (Foto: Tom Dib)

Com muitas dificuldades, o Vasco conseguiu superar a Ponte Preta, de virada, por 3 a 2, neste sábado, em São Januário, em jogo válido pela sétima rodada do Brasileiro. No primeiro tempo, Roger abriu o placar, Alecsandro igualou o marcador e Roger, mais uma vez, desempatou. Na etapa final, Eder Luis e Diego Souza decretaram a vitória Cruz-Maltina na Colina Histórica.

Vasco vence a ponte e volta a ser líder

 

Com o resultado, o Vasco assume a liderança, com 16 pontos. E torce contra o Atlético-MG, que neste domingo enfrenta o Grêmio, em Porto Alegre, para conseguir terminar a rodada na ponta. Já a Ponte Preta estaciona no meio da tabela, com nove pontos.

VOTE:
> Quem foi o melhor do Vasco na vitória diante da Ponte?
> Quem foi o melhor da Ponte na derrota para o Vasco?

GALERIA:
> As imagens de Vasco 3 x 2 Ponte Preta

LEIA MAIS:
> Chateado com reserva, Diego Souza diz que respeita Cristovão
> Jogadores destacam garra e disposição do Vasco

Na próxima rodada, o Gigante da Colina viaja até Florianópolis para enfrentar o Figueirense, no próximo domingo. Já a Macaca pega o Palmeiras, no mesmo dia, jogando no Moisés Lucarelli.

PONTE SAI EM VANTAGEM

Com uma proposta de jogo parecida com a do Cruzeiro, que impôs a primeira derrota ao Vasco há uma semana, a Ponte causava preocupação a Cristovão e, para não incorrer em erro novamente, o técnico mudou. Essa pelo menos foi a justificativa do comandante para lançar Carlos Alberto no lugar de Diego Souza. O treinador queria ter mais movimentação para não ficar refém do 4-2-3-1 armado por Gilson Kleina.

    
Roger fez dois (Foto: Cleber Mendes) 

A proposta vascaína, porém, não surtiu efeito e, ao menos, nos 15 minutos iniciais a Ponte Preta teve maior posse de bola e quase teve a chance de marcar em uma cobrança de falta de Nikão. Fernando Prass tocou na bola antes de ela atingir a trave.

O chute foi apenas um prenúncio do que aconteceria minutos depois, quando João Paulo Silva lançou Roger pela direita e tocou na saída de Fernando Prass, fazendo 1 a 0 para a Macaca. Com quatro finalizações contra nenhuma do Vasco, a Ponte Preta mantinha o domínio do jogo, marcando a saída de bola dos cariocas.

Em desvantagem nas situações criadas, o time de Cristovão conseguiu ter uma chance nítida para marcar somente aos 21 minutos. E logo na primeira Alecsandro não titubeou e tratou de empatar após receber cruzamento da esquerda de Felipe.

O gol parecia inflamar o time vascaíno. A Ponte, entretanto, manteve o bom padrão apresentado, com pouco erros de passes e uma saída rápida no contra-ataque. E em um desses contragolpes, Roger recebeu de Renê Junior, batendo de primeira no contra-pé do goleiro vascaíno. O placar adverso em São Januário provocou irritação de parte da torcida, que esboçou um início de vaia depois do gol da Macaca.

Com a vantagem, a Ponte Preta diminuiu um pouco ritmo, esperando o vasco em seu campo de defesa para contra-atacar. E em uma desses jogadas, Nikão arrancou sozinho no meio de campo e acertou um chutaço na trave de Fernando Prass.

Pelo menos nos primeiros 45 minutos, a estratégia de Cristovão não funcionou. Carlos Alberto pouco apareceu e o time teve só alguns lampejos quando Felipe apareceu bem pelo lado esquerdo.

VIRADA CRUZ-MALTINA

Os times voltaram para a segunda etapa com as mesmas formações. Precisando do resultado, o Vasco partiu para cima. Logo aos três, Carlos Alberto desviou a bola para Alecsandro receber na corrida. O camisa 9 cruzou para Eder Luis. O lateral Lucas, que havia entrado no primeiro tempo no lugar de Cicinho, falhou grotescamente, deixando a bola de presente para Eder tocar na saída do goleiro Edson Bastos. Era o empate do Vasco.

Mesmo com o gol, o Vasco não conseguiu aproveitar o ânimo da torcida para pressionar a Ponte. Erros de passes no campo de ataque e a fraca atuação de peças chaves do time dificultavam ainda mais a tarefa do time da casa.

Diego Souza perdeu a vaga de titular para Carlos Alberto (Foto: Tom Dib)


Com isso, a Macaca começou a dominar a partida. Com uma boa troca de bola e organizada dentro de campo, o time do técnico Gilson Kleina chegava fácil próximo a área do goleiro Fernando Prass. Aos 16, após bola dividida dentro da área, a redonda sobrou para Roger. O camisa 9, frente a frente com Fernando Prass perdeu a chance de fazer o terceiro seu e da Ponte.

Com o passar do tempo, os times foram acusando o cansaço e as chances foram se tornando cada vez mais escassas. Aos 28, o volante Nilton voltou a ameaçar o gol de Edson Bastos gol um forte chute de fora da área.

Dois minutos mais tarde, veio o lance mais polêmico da partida. Em ótima tabela de William Matheus e Diego Souza, o lateral recebeu dentro de área e caiu após receber a marcação de Lucas. O árbitro Fabrício Correia marcou pênalti para o Vasco e deu cartão amarelo para o jogador da Macaca. Diego Souza correu e desempatou o marcador. O camisa 10 fez o gol e não comemorou.

Com o resultado, a Ponte partiu para cima, mas não conseguiu levar muito perigo ao gol de Fernando Prass. Aos 37, em bola cruzada na área, a zaga vascaína falhava novamente. Em cabeçada de Roger, o goleiro Fernando Prass tirou mal e bola bateu no travessão. O restante da partida, o Vasco limitou-se a defender e melhorou bastante com a entrada do jovem William Matheus.

Torcida vascaína chegou a vaiar o time durante o jogo (Foto: Tom Dib)

 

FICHA TÉCNICA
VASCO 3 X 2 PONTE PRETA

Local: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Data-hora: 30/6/2012 - 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Fabricio Neves Correa (RS)
Assistentes: Altemir Hausmann (RS) e José Javel Silveira (RS)
Renda/Público: R$ 244.320,00 - 7.547 pagantes
Cartões amarelos: Lucas e Thiago Alves (PON); Fellipe Bastos (VAS)

GOLS: Roger, 16'/1ºT (0-1); Alecsandro, 21'/1ºT (1-1); Roger, 26'/1ºT (1-2); Eder Luis, 3'/2ºT (2-2); Diego Souza, 32'/2ºT (3-2)

VASCO: Fernando Prass; Fagner, Dedé, Renato Silva e Felipe (Eduardo Costa, 39'/2ºT); Nilton, Fellipe Bastos, Juninho e Carlos Alberto (William Matheus, 24'/2ºT); Eder Luis (Diego Souza, 20'/2ºT) e Alecsandro. Técnico: Cristovão Borges

PONTE PRETA: Edson Bastos; Cicinho (Lucas, 39'/2ºT), Tiago Alves, Ferron, João Paulo; Baraka, João Paulo Silva, Renê Junior e Nikão (Caio,  16'/2ºT); André Luis (Rildo, 28'/2ºT) e Roger. Técnico: Gilson Kleina

Você comentarista: