Após derrota, Botafogo quer virar a página contra Náutico

Sem tempo para lamentos, alvinegros pedem atenção e esperam vitória no Recife para recompensar derrota para Cruzeiro

Núcleo Botafogo - 09/06/2012 - 07:13 Rio de Janeiro (RJ)

Botafogo x Cruzeiro - Campeonato Brasileiro - Herrera e Mateus (Foto: Alexandre Loureiro)

O apagão de seis minutos contra o Cruzeiro custou muito caro. A ordem para todos os jogadores contra o Náutico, neste domingo, nos Aflitos, é atenção total durante os 90 minutos para que a tragédia da última quinta-feira não se repita.

Não foi a primeira vez neste Brasileiro que o Alvinegro “dorme no ponto”. Na estreia contra o São Paulo, no Engenhão, o Glorioso sofreu um gol já aos 11 minutos da etapa inicial. Depois empatou, tomou outro gol quando o time estava melhor na partida, mas mostrou poder de reação e conseguiu a vitória, de virada, por 4 a 2.

Diante do Coritiba, na capital paranaense, pela segunda rodada, outra vez o time entrou no jogo desligado. Com menos de um minuto o Alvinegro já perdia por 1 a 0, mas venceu por 3 a 2.

Contra o Cruzeiro o descuido durou seis minutos, suficiente para o Botafogo sofrer três gols.

Contra a Raposa o time teve desfalques e Oswaldo de Oliveira não terá a volta de Fellype Gabriel, Renan, Marcelo Mattos e Antônio Carlos contra o Náutico, todos vetados. Além deles, Jefferson e Loco, servindo às Seleções brasileira e uruguaia, também não jogarão.

Para Renato, atenção é preciso para que nova derrota desta maneira não aconteça:

– Tivemos um descuido que não pode acontecer. Temos de aprender para que não levemos viradas, independentemente do tempo – disse, procurando tirar proveito do resultado: – Queremos a vitória para recompensar a derrota em casa.

CAMPO RUIM É OBSTÁCULO

Além dos desfalques, o Botafogo terá o gramado do Estádio dos Aflitos como fator complicador para o jogo diante do Náutico. Para Renato, o time deve se adaptar às más condições do campo para tentar outra vitória fora de casa no Brasileiro. O jogador citou as experiências no Campeonato Carioca deste ano como exemplo:

– O campo não preocupa, mas temos de nos adaptar, como já fizemos no Carioca. O campo dificulta o nosso toque de bola e precisaremos ficar atentos a isso.

SEQUÊNCIA LONGE DO ENGENHÃO

Depois da partida contra o Náutico, o Botafogo ainda terá outro compromisso fora de casa pelo Campeonato Brasileiro. No próximo sábado, o time vai a Porto Alegre para enfrentar o Internacional, no Beira-Rio.

A última vez em que a equipe alvinegra conseguiu dois triunfos seguidos fora de casa em Brasileiros foi em 2010. Na ocasião o time enfrentou Grêmio Barueri e Santos, vencendo as duas partidas por 1 a 0.

Após o jogo contra o Colorado, o Botafogo volta ao Rio para receber a Ponte Preta, mas faz outro jogo fora, contra o Corinthians, dia 30. O Bota só fará dois jogos seguidos no Engenhão nas oitava e nona rodadas, contra Bahia e Fluminense, respectivamente.

- Bate-bola:

Renato
Volante do Botafogo em entrevista coletiva, no Engenhão

Os desfalques fizeram falta no jogo contra o Cruzeiro?
Os grupo está preparado. Perdemos jogadores que vinham jogando. Buscamos o entrosamento, mas às vezes, ele não é o ideal porque muitos sentem lesões. Mas sabemos que podemos jogar de igual pra igual contra o Náutico.

É possível tirar algo de positivo da derrota da última quinta-feira?
O time vem criando, está fazendo gols. Se tivéssemos aproveitado mais as chances, seria outra história. Mas não se deve culpar ninguém. Quando se perde, perdem todos.

É possível crer numa boa atuação mesmo após uma virada como essa?
Temos de esquecer isso, foi um descuido nosso. Nós temos bons jogadores, inclusive na base. Na nossa vitória fora de casa contra o Coritiba, já deu para ver isso.

Qual é a importância de um bom resultado contra o Náutico?
Se queremos algo grande no Brasileiro, temos de buscar. Sabemos que o jogo é difícil. Respeitamos o rival, mas lutaremos pela vitória.

Você comentarista: