Atletas envolvidos em escândalo de doping voltam às pistas

Competidores que ficaram dois anos suspensos disputarão Troféu Brasil nesta semana

Rafael Valesi - 02/08/2011 - 07:00 São Paulo (SP)

O maior escândalo de doping no atletismo nacional, em 2009, finalmente faz parte do passado para os cinco atletas flagrados, que defendiam a Rede Atletismo na época. Após dois anos suspensos, Bruno Lins Tenório de Barros, Josiane da Silva Tito, Luciana França e Lucimara Silvestre da Silva começam a voltar às pistas e disputarão pela primeira vez um torneio nacional, o Troféu Brasil, que começará nesta quarta-feira em São Paulo. Jorge Célio da Rocha Sena, outro suspenso, tem presença incerta.

Na relação oficial dos participantes do Troféu, divulgada ontem pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), constavam os nomes de Luciana e Lucimara. Em contato com o LNET!, Josiane e Bruno também disseram que vão competir no evento – segundo a CBAt, a lista poderia ser atualizada nas últimas horas.

Entre os cinco, quem vive melhor situação atualmente é Lucimara. Ela competiu duas vezes no mês passado em torneios regionais e, em um deles, o Campeonato Estadual do Rio de Janeiro, obteve o índice para disputar os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara no heptatlo.

– Quando ela (Lucimara) teve o problema, ainda tinha 23 anos. Agora, com 26, ficou mais madura e está no ápice, o que geralmente acontece entre os 25 e os 29 anos – disse Dino de Aguiar Cintra, técnico de Lucimara. A atleta defenderá a Fundação de Ciência, Tecnologia e Ensino.

Enquanto Luciana França está inscrita pelo time de Pindamonhangaba (SP), Bruno Lins informou que vai defender a cidade de Presidente Prudente no torneio nacional.

– Os primeiros meses de suspensão foram difíceis, mas agora estou treinando bem. Estou em boa forma física, mais forte e veloz – disse Bruno, que é treinado por Eliseu Sena. Eliseu é sobrinho de Inaldo Sena, que também teve envolvimento no caso e foi banido do esporte, assim como Jayme Netto Júnior.

Além de serem liberados recentemente para correr, Bruno, Lucimara, Luciana e Josiane possuem em comum o fato de continuarem treinando em Presidente Prudente. Foi lá que, em 15 de junho de 2009, todos eles foram submetidos a um exame antidoping surpresa da CBAt, e testaram positivo para a substância eritropoietina (EPO), um hormônio sintético que auxilia na capacidade aeróbica. 


Relembre o caso

Teste surpresa
Baseada em denúncias anônimas, a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) realizou no dia 15 de junho de 2009 um teste antidoping surpresa em 13 atletas em Presidente Prudente. Destes, cinco foram flagrados: Bruno Lins Tenório, Jorge Célio da Rocha Sena, Josiane da Silva Tito, Luciana França e Lucimara Silvestre da Silva. Todos os competidores pertenciam à equipe Rede Atletismo.

Causa
A substância eritropoietina (EPO) foi ministrada aos atletas por meio do fisiologista Pedro Balikian, e com a anuência dos técnicos Jayme Netto e Inaldo Sena. Jayme e Balikian se conheciam pois trabalhavam na unidade de Presidente Prudente da Universidade Estadual Paulista (Unesp). O hormônio foi aplicado nos atletas por meio de injeções com o intuito de acelerar a recuperação após treinos.

Reflexos
Os cinco atletas flagrados foram suspensos por dois anos pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt). Já os treinadores Jayme Netto e Inaldo Sena foram banidos do esporte. Outros dois competidores, Rodrigo Bargas e Evelyn  dos Santos, foram suspensos por seis meses por também terem admitido uso de EPO, mesmo não sendo flagrados no exame antidoping. Por fim, a  Rede Atletismo fechou o time de alto rendimento e o projeto de novos talentos.

Você comentarista: