LANCE! adota novo critério no quadro de medalhas

A partir do Parapan de 2011, Grupo organizará classificação por pontos e não mais por total de medalhas conquistadas

LANCEPRESS! - 12/11/2011 - 08:00 Rio de Janeiro (RJ)

Medalhas de Londres 2012 com pontuação

Deste o último sábado, com o início dos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara, no México, o LANCE! passou a adotar um novo critério para definição do quadro de medalhas de eventos esportivos como o Pan e a Olimpíada. Em vez do sistema de classificação por total de pódios, mantido desde 2000, a organização passa a ser feita por pontos. O L! estudava implementar o modelo há anos e definiu o Parapan de 2011 como evento ideal para lançá-lo.

– Não existe um ranking oficial do Comitê Olímpico Internacional (COI). Cada veículo ou cada país adota o seu. Ao longo do tempo, se usou o critério de ouros, o que sempre pareceu injusto. Debatemos, ouvimos críticas e soluções, e achamos que este é o critério definitivo, por dar pesos distintos – afirmou Walter de Mattos Junior, editor e presidente do Grupo L!.

O site do COI, por exemplo, não publica tabelas de medalhas de Olimpíadas de Verão ou Inverno. A medida tem por fim dar peso a cada medalha e, portanto, tornar mais justo o ranking entre países. No novo critério do L!, se estabelece que o ouro tem peso três, a prata tem peso dois e o bronze, um. 

No novo critério adotado pelo LANCE!, Brasil ficaria em terceiro lugar nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara (Foto: Jefferson Bernardes/Vipcomm)

Exemplo: se tal sistema já valesse para os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, encerrados no 30 de outubro, o Brasil (48 ouros, 35 pratas e 58 bronzes) terminaria com 272 pontos, na terceira posição, atrás dos Estados Unidos (499 pontos) e Cuba (287).

Na classificação por total de medalhas, que era usada pelo Diário, as posições foram diferentes. O Brasil terminou à frente de Cuba. A iniciativa por pontos foi bem aceita por alguns dos principais atletas e ex-atletas do Brasil consultados pelo diário na última sexta-feira.

OPINIÕES DE ATLETAS

> Gustavo Borges
Ex-nadador, medalha de prata nas Olimpíadas de 1992 e 1996

"Acho injusto o critério atual, contando as medalhas de ouro. O valor do ouro é, sim, muito maior. Mas é uma boa ideia dar pesos às medalhas. Acho legal, a ideia"

> Maurício
Ex-levantador da Seleção de vôlei bicampeã olímpica (1992 e 2004)

"O sistema do COI está em vigor há muitos anos. E a diferença entre as medalhas é muito grande. Acho que o sistema deles é válido, mas a ideia dos pontos é boa, só precisaria analisar melhor"

> Kaio Márcio
Finalista olímpico dos 200m borboleta em 2008

"Essa proposta dos pesos distintos tem lógica. Nos moldes atuais, valoriza-se apenas o ouro, e não as outras medalhas. Eu optaria por essa ideia"

> Leandro Guilheiro
Judoca, medalhista de bronze nas Olimpíadas de 2004 e 2008

"Acho que, para medir evolução, vale dar peso a cada medalha. Até porque um ouro pode não sair por detalhe, mas não significa que não houve evolução"


COMO SÃO OS CRITÉRIOS NO EXTERIOR

> ESTADOS UNIDOS (sistema de pontos)
O jornal "The New York Times", em 2008, foi criticado por utilizar o critério de total de medalhas para, supostamente, beneficiar os EUA. Pelos ouros, o país ficaria atrás da China nos Jogos Olímpicos de Pequim. O diário, então, criou um sistema de pontos, no qual os chineses acabaram ficando à frente.

China conquistou mais medalhas de ouro que os Estados Unidos nos Jogos Olímpicos de Pequim, disputados em 2008 (Foto: Laszlo Balogh/Reuters)

> ALEMANHA (sistema tradicional)
Principal emissora de TV alemã, a Deutsche-Welle segue o sistema mais comum para o quadro de medalhas (ouros). A escolha beneficiou o país nos Jogos de Pequim, em 2008. A Alemanha ficou na frente de países com mais medalhas graças ao número de ouros: 16.

> ESPANHA  (sistema tradicional)
O jornal "El Mundo Deportivo", principal publicação esportiva da Catalunha, é mais um a seguir o padrão tradicional, priorizando as medalhas de ouro. A escolha, porém, divide opiniões na redação. "Com certeza não é o critério mais justo", afirmou o repórter David Llorens.

> FRANÇA (sistema tradicional)
Um dos maiores diários esportivos da Europa, o "L’Equipe" adota o sistema de classificação por ouros. Para a repórter Céline Nony, a escolha deve seguir os interesses de cada país: “Essa questão depende de local para local. Para uns, vale mais o total de medalhas. Para outros, os ouros.

> INGLATERRA (sistema tradicional)
A emissora BBC não foge aos padrões dos demais veículos de imprensa europeus. Na Olimpíada passada, o sistema em nada influenciou no desempenho da Grã-Bretanha. O quarto lugar, com 19 medalhas de ouro, estaria garantido mesmo com outro critério.

Você comentarista: