No hotel do Vasco, Vampeta diz que Fla 'finge que paga'

Velho Vamp mostra que ainda está com a língua afiada e ressalta que falta 'mulher e bebida' no meio do futebol

Bruno Braz - 07/01/2012 - 06:10 Em Atibaia (SP)

Vasco - Pré-temporada - Atibaia - Vampeta (Foto: Bruno Braz)

Folclórico e polêmico. Mesmo após se aposentar, Vampeta deu mostras de que continua sem papas na língua. Hospedado no mesmo hotel onde o Vasco realiza sua pré-temporada (ele está dando uma oficina de futebol), o ex-volante resgatou, numa "versão atualizada", a famosa frase destinada ao Flamengo em 2002 (“Eles fingem que pagam e eu finjo que jogo”). Desta vez, sobrou até para o seu colega Zico:

Receba primeiro as notícias do futebol no país no seu celular!

- E não é mentira não, viu. Nem o Galinho (Zico) escapou. Ficou alguns meses e caiu fora (risos). Brinquei com ele no Jogo das Estrelas (realizado pelo ídolo rubro-negro) que o clube só finge que paga. Ele dá risada. Mas é uma brincadeira. Respeito muito a camisa e a torcida do Flamengo - disse.

Velho Vamp relembrou de que maneira foi criado o episódio, citado até hoje nos papos mais descontraídos do mundo da bola.

- Acho que íamos enfrentar o Fluminense e veio o papo de que eles não iriam jogar porque estavam em greve pelos salários. Brincando com o Ricardinho, Fábio Luciano, Deivid e Gil, eles me perguntaram se eu tinha recebido no Flamengo. E tinha um cara gravando o bate-papo. Aí eu acabei falando a frase. Acabaram mandando isso para todos os meios de comunicação. Depois pensei: "Vou ter que me explicar". Então convoquei uma coletiva e disse que não tinha dado entrevista para ninguém, mas que tinha falado mesmo...(pausa). Quer saber? O Flamengo finge que paga e, até hoje, as pessoas fingem que jogam (risos).

Com seu eterno sorriso no rosto, demonstrou sua torcida para que a atual diretoria não cometa os mesmos erros, porém, no fim, voltou a dar sua "pitada baiana".

- Espero que a Patricia Amorim (presidente atual) não seja assim e honre os compromissos. Mas, na época, ninguém honrou nada. O presidente era o Edmundo Santos Silva, o "chorão", meu conterrâneo. Terminou o Brasileiro e liguei para os meus empresários avisando que não iria voltar mais, e aí acabei retornando ao Corinthians. Se tivesse ficado no Flamengo, talvez não tivesse sido campeão de p... nenhuma - disse, aos risos, para depois completar:

- Gosto de dar uma cutucada. Flamengo e São Paulo são eternos "inimigos" - divertiu-se.

Defendendo o seu estilo, ele reclamou da "caretice" do futebol atual, e citou uma espécie de "cartilha do bom boleiro":

- O que vejo hoje é que é tudo muito fechado. Você quer marcar uma entrevista com algum atleta e tem que ligar para assessor particular, do clube...Tudo via Twitter. Eu não mexo com essas paradas. O futebol é totalmente diferente. Isso eu nunca concordei. É aquilo que falo: no futebol tem que gostar de jogar, de ganhar, de mulher e de bebida (risos).

Você comentarista: