Na estreia na Liberta, Santos perde muitos gols e, no fim, leva virada do The Strongest

Na altitude de La Paz, na Bolívia, Peixe joga melhor, desperdiça muitas chances e, aos 45 do segundo tempo, sofre castigo

LANCEPRESS! - 15/02/2012 - 21:52 La Paz, Bolívia

The Strongest x Santos - Copa Libertadores - Gol Cristaldo (Foto: Martin Alipaz/EFE)

Na estreia na Copa Santander Libertadores, o maior adversário do Santos não foi a altitude, mas ele próprio. Apesar de "voar" em campo contra o The Strongest (BOL), em La Paz, o Peixe desperdiçou muitas chances e, com um gol sofrido aos 45 minutos do segundo tempo, foi derrotado por 2 a 1.

O time de Vila Belmiro saiu na frente do placar logo no começo de jogo, com o volante Henrique. Porém, Cristaldo e Ramallo viraram para o time da casa.

Os cerca de 3600 metros de altitude da cidade boliviana não foram capazes de parar os Meninos da Vila, que esbanjaram fôlego. Contudo, se sobrou preparo físico, faltou pontaria. Em noite inspirada de Paulo Henrique Ganso, que "cansou" de dar bons passes, o Alvinegro foi melhor em campo, mas, como diz o velho ditado, quem não faz...

Acostumado a salvar o Santos, Neymar esbanjou vontade, mas, desperdiçou inúmeras oportunidades, sobretudo no segundo tempo.

Agora, o Peixe fica em terceiro no seu grupo atrás do líder Internacional e do The Strongest.

Correria e chances desperdiçadas

Os jogadores do Santos não obedeceram as ordens do técnico Muricy Ramalho para cadenciar a partida e "imitaram" a correria do time boliviano na primeira etapa. Apesar de jogar na altitude de La Paz, a cerca de 3600 mil metros do nível do mar, o Peixe não poupou gás e imprimiu um ritmo de jogo intenso na primeira etapa.

Jogando em casa e com apoio de um bom público, que lotou as arquibancadas do estádio Hernando Siles, o The Strongest começou pressionando o Alvinegro e se aproveitando da altitude, que deixa a bola mais veloz, para arriscar muitos chutes de fora da área. O atacante Pablo Escobar, principal nome da equipe da casa e que já jogou no Brasil - defendeu Ipatinga, Santo André, Mirassol, Ponte Preta e Botafogo-SP - era quem comandava todas as ações dos bolivianos. Além de armar as jogadas, o camisa 10 também levava perigo ao gol de Rafael com potentes arremates.

Apesar de o The Strongest começar o duelo no ataque, quem saiu na frente no placar foi o Santos, em jogada de bola parada. Aos nove minutos, Ganso cobrou falta da direita, Neymar cabeceou e, no rebote do goleiro Vaca, Henrique empurrou para as redes.

Sem poder contar com Juan, vetado minuto antes da partida, ao descobrir que estava suspenso, o técnico Muricy Ramalho optou por utilizar Pará na lateral direita e Fucile no lado oposto. Foi na esquerda, setor do uruguaio, que o The Strongest concentrou suas principais ações. E foi por ali que surgiu o empate do time boliviano, depois de muita insistência.

Aos 32, após cruzamento, a bola atravessou toda a área santista, sem que nenhum zagueiro afastasse. O meia Cristaldo foi quem ficou com ela e, de primeira, soltou uma bomba, no canto, sem chance de defesa para Rafael, empatando a partida.

O jogo era lá e cá. Borges, que pareceu sentir a falta de ritmo, perdeu boas chances para o Santos, assim como Neymar, que desperdiçou grande oportunidade aos 24. Com Ganso ligado na partida e Arouca fazendo bons desarmes, como de costume, o Peixe poderia ter terminado a primeira etapa em vantagem, se não tivesse pecado nas finalizações. O time da casa, por sua vez, também "voou" em campo e, abusando dos chutes de longe e dos lançamentos, criou muito perigo ao goleiro Rafael.

Quem não faz...

O Santos diminuiu o ritmo para a segunda etapa, mas nem por isso deixou de criar ótimas chances de gol. Com as entradas de Elano e Alan Kardec nas vagas de Ibson e Borges, respectivamente, o Peixe passou a cadenciar mais o jogo, mas continuou a desperdiçar oportunidades de "matar" o jogo.

Até os 10 minutos da etapa final, os bolivianos eram melhores, mas a partir de então, quem deu a bola foi o Santos. Com grande atuação de Ganso, que distribuiu bem o jogo e deu ótimos lançamentos, o Alvinegro passou a dominar o jogo e perder uma chance após a outra.

Neymar teve, no mínimo, três chances claras de marcar. Elano, aos 27, perdeu uma das oportunidades mais claras da partida. Após linda virada de jogo de Neymar, o meia saiu cara a cara com o goleiro Vaca, sem marcação, mas mandou a bola no travessão.

Porém, como diz o velho ditado: "quem não faz, toma". Depois de o Peixe "cansar" de perder gols, o The Strongest virou o placar com Ramallo, de cabeça, após cobrança de escanteio, aos 45 minutos.

Na próxima rodada da Libertadores, o Santos enfrentará o Internacional, dia 8, na Vila Belmiro. Já o The Strongest pegará o Juan Aurich (PER), fora de casa, na próxima semana, dia 23.

FICHA TÉCNICA:
THE STRONGEST 2 X 1 SANTOS

Estádio: Hernando Siles, La Paz (BOL)
Data/hora: 15/2/2012 - 19h45 (de Brasília)
Árbitro: Carlos Vera (EQU)
Auxiliares: Christian Lescano (EQU) e Luis Alvarado (EQU)

Renda e público: não disponíveis
Cartões amarelos:
Parada e Lima (STR); Rafael, Neymar e Fucile (SAN)
Cartões vermelhos: -
Gols:
Henrique, 9'/1ºT (0-1); Cristaldo, 32'/1ºT (1-1) e Ramallo, 45'/2ºT (2-1)

THE STRONGEST: Vaca, Torrico, Mendez, Ojeda e Parada; Lima, Soliz, Cristaldo (Ramallo, 21'/2ºT) e Chumacero; Melgar (González 26'/2ºT) e Pablo Escobar. Técnico: Mauricio Soria.

SANTOS: Rafael, Pará, Edu Dracena, Durval e Fucile; Arouca, Henrique, Ibson (Elano, 12'/2ºT) e Ganso; Neymar e Borges (Alan Kardec, 21'/2ºT). Técnico: Muricy Ramalho

Você comentarista: