São Paulo vence o Galo em tarde de homenagens

Com gol de Luis Fabiano, Tricolor acaba com invencibilidade do Atlético-MG e comemora 20 anos do primeiro título da Copa Libertadores

LANCEPRESS! - 17/06/2012 - 17:59 São Paulo (SP)

As imagens de São Paulo 1 x 0 Atlético-MG (Foto: Miguel Schincariol)

Na tarde em que os torcedores do São Paulo comemoraram 20 anos da primeira conquista da Copa Libertadores, o Tricolor recebeu o embalado Atlético-MG - no Morumbi - em partida válida pela 5ª rodada do Campeonato Brasileiro 2012. E as homenagens aos campeões de 1992, que começaram antes do jogo, acabaram com uma vitória do time paulista por 1 a 0, com gol Luis Fabiano, que acabou sendo expulso nos minutos finais da partida após reclamar da arbitragem.

São Paulo vence com gol e expulsão do Fabuloso


Agora, a equipe comandada por Emerson Leão volta as atenções para a semifinal da Copa do Brasil contra o Coritiba, em Curitiba, nesta quarta-feira. O Tricolor ganhou o primeiro jogo em casa e basta empatar para se classificar para a final da competição.

Quem foi o melhor jogador são-paulino em campo?

Quem foi o melhor jogador atleticano em campo?

Já o Galo, que só tem o Brasileirão em pauta, enfrentará o Náutico. O jogo está marcado para o Independência, no próximo sábado, e será a primeira partida de Ronaldinho Gaúcho diante da Massa alvinegra.

O JOGO

Sem poupar nenhum jogador titular, o São Paulo se mostrou disposto a ir em busca de sua terceira vitória no Brasileirão. O jogo começou baseado no equilibrio de duas equipes que possuem atletas de qualidade. O Galo dominava as ações, investindo nas invertidas de bola para os laterais e tentando achar o craque Ronaldinho Gaúcho, que, logo aos quatro minutos, cruzou para Jô cabecear nas mãos do goleiro Denis.

Com a posse de bola dominada pelo Atlético Mineiro, o São Paulo tratou de explorar os contra-ataques, mas abusou das jogadas individuais, perdendo bolas bobas para os marcadores alvinegros. Somente aos 11 minutos o ataque tricolor funcionou. Jadson puxou um contragolpe e Luis Fabiano quase marcou, mas a bola foi desviada - segundo a arbitragem - e foi marcado o escanteio.

O Galo voltava a atacar pelo lado direito, mas este setor se mostrou frágil na construção de jogadas. Carlos César não conseguia acertar e também não contava com a colaboração do meia Danilinho. Só que, perto da metade da etapa inicial, o time de Leão passou a ter presença no ataque e a técnica de seus jogadores de meio de campo começou a fluir, mas sem ameaçar de verdade o goleiro do Galo.

O jogo foi marcado pela velocidade das equipes, que conseguiam chegar no gol do adversário com facilidade. Mas os pés dos vinte jogadores de linha não estavam calibrados. Danilinho tentou um chute que Bernard não conseguiu, mas disparou com fraqueza e Denis fez nova defesa segura. Apesa da velocidade do confronto, duas paradas por conta de lesões sentidas por Richarlyson e Fabrício - que saiu da partida para a entrada de Maicon - esfriaram o duelo e os times passaram a se estudar antes de arriscar uma tentativa de abrir o placar.

No final do primeiro tempo, o Atlético cometeu erros banais e o São Paulo melhorou na partida. Em um contra-ataque, Maicon penetrou na área e achou Jadson livre, que bateu fraco de canhota e Giovanni agarrou. Mas o camisa 10 tricolor se redimiu logo depois, ao dar uma assistência perfeita para o goleador Luis Fabiano vencer o camisa 1 do Galo e abrir o placar para o São Paulo. O Galo tentou a reação com um chute de fora da área do apagado Carlos César, mas sem sucesso.

SEGUNDO TEMPO

Na volta do intervalo, o São Paulo voltou com a mesma escalação que terminou o primeiro tempo, mas o Galo teve a mudança com a entrada de Leandro Donizete no lugar do amarelado Pierre, que sentiu uma contusão.

Assim como o começo dos 45 minutos iniciais, o Galo estava melhor na partida, mas ainda nçao construía jogadas de perigo. O São Paulo voltou a não prender a bola no primeiro tempo, parecia poupar energias tendo o jogo da Copa do Brasil em mente. Todavia, o Atlético não tinha grande poder de fogo e parava na defesa tricolor, que anulava Ronaldinho Gaúcho.

Apesar de pouco atacar devido a posse de bola estar nos pés do Galo, o São Paulo mostrava uma eficiência de fazer inveja na equipe de Cuca. A rapidez e habilidade de Jadson e Lucas causavam calafrios na dupla de zaga do time visitante. O Galo quase chegou ao empate usando a bola parada. Ronaldinho cruzou e Jô quase marcou, mas o juiz marcou uma falta do zagueiro Rafael Marques em Paulo Miranda. Outra chance clara de igualar o marcador foi desperdiçada por Bernard, que, novamente, não conseguiu vencer o goleiro adversário em uma chance cara a cara com Denis.

Nos minutos finais, Luis Fabiano tomou cartão amarelo após falta em Leandro Donizete. O atacante, inconformado, reclamou bastante com o juiz e, por conta disso, acabou expulso. O jogador ficou indignado e tentou partir para cima do árbitro, sendo contido pelos companheiros de equipe. Em todas as partidas que atuou neste Brasileiro o jogador levou cartões, inclusive tendo ficado fora do clássico contra o Santos por conta disso.

O Atlético, assim como no jogo contra o Palmeiras, repetiu os erros no ataque. Criou oportunidades, mas faltava capricho e tranquilidade na hora da finalização. Mas, diferentemente do Verdão, o São Paulo não vacilou e somou mais três pontos na tabela de classificação.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 X 0 ATLÉTICO-MG

Data e Hora: 17/6/2012, 16h (Horário de Brasília)
Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (GO) e Cristhian Passos Sorence (GO)
Cartões Amarelos: Douglas, Lucas e Luis Fabiano (São Paulo); Pierre e Junior Cesar (Atlético-MG)
Cartão Vermelho: Luis Fabiano, aos 40'/2ºT.
GOL: Luis Fabiano, 41'/1ºT (1-0);

SÃO PAULO: Denis; Douglas (Rodrigo Caio, 25'/2ºT), Paulo Miranda, Rhodolfo, Cortez; Fabrício (Maicon, aos 23'/1ºT), Casemiro, Cícero, Jadson; Lucas (Oswaldo, 36'/2ºT) e Luis Fabiano. Técnico: Emerson Leão.

ATLÉTICO-MG: Giovanni, Carlos César (André, 36'/2ºT), Rafael Marques, Réver e Junior Cesar; Richarlyson e Pierre (Leandro Donizete, Intervalo); Danilinho (Juninho, aos 16'/2ºT), Ronaldinho e Bernard; Jô. Técnico: Cuca.

Você comentarista: