Quatro grandes do Rio se unem por ações comerciais

Movimento 'Cariocas' foi anunciado nesta segunda, no Maracanã

Igor Siqueira - 04/06/2012 - 11:17 Rio de Janeiro (RJ)

Os quatro grandes clubes do Rio resolveram se unir para colocar em prática o movimento "Cariocas", que visa aperfeiçoar a atuação de Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco na área comercial. O anúncio do projeto foi feito na manhã desta segunda-feira, teve o Maracanã como cenário e contou com a presença de Maurício Assumpção, Patrícia Amorim, Peter Siemsem e Roberto Dinamite.

Peter, Patricia, Assumpção e Dinamite juntos (FOTO: Cézar Loureiro/Ag. O Globo)


A intenção dos dirigentes é aproveitar melhor a força da imagem dos clubes para trazer receitas aos cofres, inclusive com ações fora do estado. A iniciativa será conduzida pelas diretorias de marketing dos clubes, com auxílio da agência de marketing esportivo Golden Goal.

- Estamos refazendo uma relação importante entre os quatro grandes. Teremos ações comerciais integradas. Em várias situações, nos pegamos isolados em negociações comerciais. Entendemos que a união torna o Rio mais forte para sentar com parceiros e negociar acordos. Nossos  executivos podem dar contribuição importante. Temos diferenças, mas são dentro de campo e às vezes na piscina. Temos que pensar em como aumentar receitas - afirmou o presidente do Botafogo, Maurício Assumpção.

 Quatro grandes do Rio firmam parceria comercial

Alguns passos do projeto já foram dados, como uma comissão conjunta de licenciamento das marcas. Além disso, os clubes pretendem implantar uma franquia de quiosques a serem instalados em cidades estratégicas, onde os times têm popularidade. Futuramente, o plano é levar o projeto para fora do país. Com a criação dos Cariocas, a intenção é também fortalecer o combate à pirataria.

- Trocamos experiências, somos companheiros, viajamos juntos, realmente existe a cumplicidade - afirmou a presidenta do Flamengo, Patrícia Amorim, que deixou o local "escoltada", assim que as perguntas sobre Ronaldinho Gaúcho surgiriam.

O presidente do Fluminense, Peter Siemsen, ressaltou que a união não pretende tratar sobre uma cartilha de ética entre os clubes no que diz respeito à negociação de jogadores. A questão foi levantada por causa da rixa entre Fla e Flu pelo meia Thiago Neves, no início do ano.

- Não dá encarar o que estamos fazendo pelo lado da ética, porque vejo que isso é um conceito de cada pessoa. Não é um grupo que disputa algo sobre jogo. Estamos juntos em outra esfera. Há jogadores que atuaram por Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco, e vai continuar havendo. O mercado é diferente da união que estamos pregando - afirmou Peter, que deixou o evento pouco antes de as perguntas acabarem, alegando compromissos pessoais.

O movimento Cariocas não é uma entidade, não tem CNPJ, ou seja, não se trata de um órgão independente criado pelos clubes. A parceria só acontece mediante um acordo de cooperação entre os quatro e pode ser desfeito quando um deles não estiver mais satisfeito, sem ter que pagar qualquer multa rescisória.

*Atualizada às 13h30

Você comentarista: