Rio de Janeiro lança Mundial de Judô de 2013

Evento será o primeiro campeonato deste porte da modalidade no ciclo olímpico dos Jogos de 2016

LANCEPRESS! - 23/03/2012 - 14:01 Rio de Janeiro (RJ)

Sérgio Cabral Filho recebe jaqueta do judô das mãos do judoca Leandro Guilheiro (Crédito: Marcio Rodrigues / FOTOCOM.NET)

Pela terceira vez na história, o Rio de Janeiro voltará a receber o Mundial de Judô. Nesta sexta-feira, o evento, que será disputado em setembro de 2013, teve seu lançamento realizado no Palácio Guanabara, em Laranjeiras, na Zona Sul da cidade. Este será o primeiro mundial da modalidade do ciclo olímpico dos Jogos Rio-2016.

- O Brasil está forte economicamente e tem avançado nas questões sociais. Além disso, receberá os maiores eventos esportivos do mundo nos próximos anos. E, sendo uma das maiores potências do judô, teremos a oportunidade de, em 2013, caminharmos ainda mais no desafio de levar para o programa olímpico a disputa por equipes - disse o presidente da Federação Internacional de Judô (IJF), Marius Vizer.

Compareceram ao evento diversos medalhistas em mundiais como João Derly, Leandro Guilheiro e Mayra Aguiar. Além deles estavam presentes dirigentes do judô e do esporte brasileiro. Presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016, Carlos Arthur Nuzman, ouviu do governador Sérgio Cabral Filho o pedido de Vizer e do presidente da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), Paulo Wanderley, em prol da disputa por equipes na Olimpíada.

- Nuzman, como membro do Comitê Olímpico Internacional (COI), poderá pedir à entidade para que se aumente o programa do judô na Olimpíada de 2016 em um dia - declarou Cabral.

Atualmente, os Jogos Olímpicos contam apenas com a disputa individual. Somente nos mundiais existe um dia reservado para a competição por equipes.

Depois de 40 anos, o Rio voltou a ser palco do Mundial de Judô em 2007. Na ocasião, o Brasil obteve resultado inédito ao conquistar três medalhas de ouro (João Derly, Tiago Camilo e Luciano Corrêa) e um bronze (João Gabriel Schilittler). O sonho da CBJ em 2013, no Maracanãzinho, é superar este resultado e também o de cinco pódios (duas pratas e três bronzes) do Mundial do ano passado, em Paris (FRA).

Você comentarista: