'Maratonistas' do Santos dão base para bi da Libertadores

Na competição deste ano, cinco atletas disputaram todos os jogos e não saíram de campo. Contra o Corinthians, o grande teste!

Marcio Porto - 19/06/2012 - 08:13 Santos (SP)

Treino do Santos - Neymar e Ganso (Foto: Ivan Storti)

Atual campeão da Libertadores, o Santos comprova na edição deste ano que apostar na base pode ser um importante alicerce para se manter no topo.

Na atual competição, cinco jogadores disputaram todos os jogos e não foram substituídos. São eles: o goleiro Rafael, os zagueiros Edu Dracena e Durval, o meia Paulo Henrique Ganso e o atacante Neymar. Detalhe: todos participaram da campanha vitoriosa em 2011.

Além deles, o volante Arouca, outro campeão, também disputou todos os jogos este ano, mas foi substituído em três ocasiões.

Não por acaso, são os principais jogadores da campanha do semifinalista. Como explicação, o técnico Muricy Ramalho costuma associar com a maturidade conquistada pelos seus jogadores ultimamente.

Saiba quem são os maratonistas do rival Corinthians

– Hoje, dificilmente nossos jogadores são expulsos. Sempre falo para eles que não pode reclamar tanto do árbitro, da importância de mantermos 11 jogadores durante toda partida – analisa o comandante.

E o elenco tem absorvido as recomendações do técnico. Nesta Libertadores, nenhum atleta foi expulso ainda. Ou seja, a equipe não teve problemas de suspensão, já que na competição sul-americana a penalização por cartões amarelos é com multa e não acumula.

Este ano, apenas o volante Ibson, que atualmente está no Flamengo, recebeu cartão vermelho pelo Peixe. Foi no dia 5 de fevereiro, no clássico contra o Palmeiras, em Presidente Prudente, no Paulistão.

Além disso, a manutenção da base em toda a Libertadores é possível pelo rodízio que o técnico adotou durante o Paulistão e agora na disputa do Brasileirão. O técnico tem dado atenção total à competição sul-americana e não hesita quando precisa poupar o time.

Por outro lado, os maratonistas do Peixe também maqueiam uma deficiência do elenco, atestada pelo próprio comandante. Volta e meia Muricy reclama da fragilidade do seu plantel e cobra reforços.

Enquanto eles não vem, a base tem funcionado. O teste de fogo será amanhã, contra o arquirrival.

Você comentarista: