Especialista em lesões no tornozelo avalia problema de Lucas, do Botafogo

Analista de ortopedia da Academia LANCE! afirma que tempo de retorno do lateral-esquerdo depende do movimento que o jogador fez no momento que foi atingido por Zé Roberto

LANCEPRESS! - 17/07/2013 - 08:29 Rio de Janeiro (RJ)

Normalmente, fazemos uma redução, que é colocar o osso no lugar e depois a fixação com uma placa e parafusos. Às vezes, a fratura atinge só o osso, outras vezes, quando o atleta gira o corpo no lance em que se machuca, há lesões ligamentares associadas. É frequente que parte da cirurgia seja para colocar a placa e os parafusos e outra placa para tratar as lesões nos ligamentos.

Existem vários tipos de fraturas: as que você volta a pisar entre quatro e seis semanas, e outras em que volta a pisar entre oito e 12 semanas, dependendo da gravidade. Na média, a pessoa volta a pisar em um mês e meio, volta a fazer alguma atividade na bicicleta já no segundo mês e, provavelmente, a jogar por volta do quarto mês.

Nos casos mais simples, pisaria em quatro semanas e voltaria a jogar em três meses. No mais grave, voltaria a jogar em seis meses. A gravidade tem relação com as lesões ligamentares associadas. Existem os ligamentos do tornozelo, mas existe também o ligamento entre a tíbia e a fíbula, que são os dois ossos que compõem o tornozelo. Esse ligamento entre a tíbia e a fíbula é o sindesmose. Se machuca o sindesmose, a gravidade da fratura aumenta e o tempo de recuperação aumenta. Se não tem lesão nesse ligamento, aí a recuperação é mais rápida.

Por Dr. Márcio Freitas, ortopedista do Instituto Vita

Você comentarista: