Por ordem de Kalil, R49 está fora do jogo contra o Vasco

Presidente convocou reunião para tratar de saídas noturnas dos jogadores e acabou discutindo com o jogador

Eduardo Mendes
Frederico Ribeiro
- 11/08/2012 - 18:17 Belo Horizonte (MG)

As imagens de Fluminense 0 x 0 Atlético-MG (Foto: Paulo Sérgio)

Após uma discussão áspera entre o presidente Alexandre Kalil e Ronaldinho, na noite de sexta-feira, o atacante, por ora, está fora do jogo contra o Vasco este domingo, por ordem do mandatário do Atlético-MG.

O clube sequer divulgou a lista dos relacionados para o confronto e até este sábado a decisão de Kalil estava mantida. O atrito entre o presidente e o astro do Galo aconteceu em meio a uma reunião convocada por Kalil em caráter de urgência no fim da noite de sexta. O grupo foi chamado para que o presidente comunicasse a volta da concentração dois dias antes das partidas.

Receba primeiro as notícias do Galo no seu celular!

Kalil não ficou satisfeito depois que tornou-se pública uma briga que envolveu o zagueiro Réver e o atacante Danilinho em uma exposição em Sete Lagoas, na madrugada de sexta-feira. O presidente do Galo, ao longo de sexta-feira, avisou à cúpula de futebol e à comissão técnica que faria uma cobrança ao grupo.

Em tom ríspido, Kalil exigiu comprometimento em prol do título e usou até palavrões no diálogo com os jogadores. Ronaldinho, em um certo momento da conversa, foi cobrado pelo dirigente e, então, tripudiou.

Depois que ambos elevaram a voz em meio a discussão, Kalil avisou que Ronaldinho estaria fora do confronto diante do Vasco, em Belo Horizonte.

Para contornar a situação, alguns jogadores tentaram intervir, pedindo calma a todos e ao presidente. Réver, capitão do time, por sua vez, ficou omisso na história.

Em contato com a reportagem do LANCENET!, o diretor de futebol do Galo, Eduardo Maluf, comentou o episódio. Ele disse que, mesmo se soubesse de uma discussão entre Ronaldinho e Kalil, não falaria a respeito.

- Se eu soubesse (da discussão) eu não falaria. Reuniões entre jogadores e diretores, no Galo, é normal. Não há nada para dizer sobre isso - afirmou.

Você comentarista: