Bola aérea baiana preocupa, mas Victor não muda estilo

Goleiro afirma que não tem orientação para atuar mais adiantado ou sair mais do gol na quinta-feira, no duelo com o Bahia

Eduardo Moura - 16/05/2012 - 09:27 Porto Alegre (RS)

Victor, do Grêmio (Lucas Uebel/Grêmio)

Um dos pontos do Bahia destacados pelo auxiliar Emerson e pelo técnico Vanderlei Luxemburgo foram as bolas paradas. A altura dos adversários das 21h desta quinta-feira, no Pituaçu, é motivo de preocupação por parte do Grêmio. O goleiro Victor, porém, garante que não vai mudar seu modo de atuar.

Quem mais impressiona é o zagueiro Rafael Donato, com 1,93m. Ainda assim, outros são citados, como o volante Fabinho, o zagueiro Titi e o atacante Junior. As bolas paradas foram alvo de treinamento gremista nesta terça-feira. O camisa 1, porém, garante que não há porque sair mais do gol.

E MAIS
> Marcelo Grohe volta a treinar
> Antes da viagem, Grêmio trabalha bola parada e saída

- O que difere é a atenção, para sair bem quando for solicitado. Não pode querer sair em todas, senão se expõe demais. Tem que fazer a leitura correta, é mais a atenção, mais do que sair mais, para ter o discernimento de entender quando temos que sair do gol e entrar na bola – explicou Victor.

Mesmo com a mudança na preparação de goleiros do Grêmio – Francisco Cersósimo foi para o Atlético-MG, e deu lugar a Rogério Godoy, das categorias de base do clube e que já trabalhava nos profissionais quando das convocações do principal para a Seleção - a orientação segue a mesma.

- Segue a mesma metodologia que tinha antes, na verdade foi só a continuidade, mas nada diferente do que vinha fazendo antes – completou.

Além da bola parada, o Grêmio também se preocupa com a pressão que o Bahia pode exercer nos minutos iniciais da partida, pelo embalo do título baiano e de sua torcida. Quer uma blitz, como foi contra o Fortaleza, para parar.

O time tricolor está definido para o primeiro duelo na Copa do Brasil com Victor; Edilson, Naldo, Gilberto Silva e Pará; Fernando, Souza, Léo Gago e Marco Antônio; Marcelo Moreno e André Lima.

Você comentarista: