Sem espaço no Atlético-MG, Mancini estuda se mudar para futebol dos EUA

Meia-atacante de 32 anos teve uma temporada apagada, após ser emprestado ao Bahia

LANCEPRESS! - 13/01/2013 - 16:13 Belo Horizonte (MG)

Grêmio x Bahia (Foto: Ricardo Rimoli)

Dos jogadores que pertencem ao Atlético-MG e voltam de empréstimo para esta temporada, a maioria ainda não sabe qual será o seu destino em 2013. No entanto, aos poucos a diretoria do Galo vai definindo a situação dessa categoria de atletas. Mancini, por exemplo, recebeu uma proposta de defender um clube ainda não divulgado na Major League Soccer, campeonato nacional de futebol dos Estados Unidos.

Quem explicou a situação foi o diretor de futebol do Atlético-MG, Eduardo Maluf. O dirigente deixou claro que o meia-atacante de 32 anos, no entanto, ainda analisa a chance recebida.

-  Eu até conversei com o Mancini na segunda-feira, existe uma proposta de um agente, não de um clube oficial, perguntando sobre o interesse do Mancini e passamos para o jogador. Vamos esperar que o Mancini cuide desta parte dele para ver se ele tem interesse de jogar na Liga americana - afirmou Maluf, à Itatiaia.

Enquanto não se decide, Mancini segue mantendo sua forma física, mas não se apresentou com o elenco atleticano para a pré-temporada, por já saber que não conta com o interesse de Cuca em utilizá-lo. O jogador passou boa parte do último ano emprestado ao Bahia e não teve uma passagem que deixou saudades no Tricolor. Tanto é que nem se cogitou a renovação de seu empréstimo.

Além de Mancini, que tem uma situação encaminhada, o Galo já resolveu a situação de Renan Oliveira, Patric e Guilherme Santos. O primeiro continuará no Goiás, onde contribuiu para a conquista da Série B-2012. O segundo foi repassado para o Coritiba e estava no Náutico. E o lateral-esquerdo, que estava no Figueirense, só espera a chegada de seus documentos para ser oficializado pelo Santos.

Dois jogadores foram reintegrados ao time profissional: o lateral Eron e o meia-atacante Nikão. Eron será sombra de Junior Cesar e poderia ir para o Goiás, mas a diretoria do Galo não avançou na sondagem. Já Nikão queria ficar na Ponte Preta, só que sua permanência seria condicionada caso a Macaca fizesse um negócio considerado nocivo: envolver o lateral-direito e destaque Cicinho.

Somente eles, vamos tentar recolocar alguns e vamos estudar para colocar outros - explicou o diretor de futebol do Galo, sobre a volta de Nikão e Eron

Você comentarista: