Contra o Atlético-GO, Joel Santana comanda o Fla e resiste à queda gradual

Treinador ainda não foi demitido porque o Rubro-Negro segue tendo problemas para acertar com sucessor do cargo

David Nascimento
Eduardo Mendes
- 01/07/2012 - 07:02 Rio de Janeiro (RJ)

Joel Santana - Flamengo (Foto: Paulo Sérgio)

Na véspera de seu 27º jogo pelo Flamengo este ano, Joel Santana esteve isolado e longe dos homens do futebol do clube. Enquanto ele assistia ao recreativo de um lado do campo, Zinho, diretor executivo, e Coutinho, vice de futebol, acompanhavam a atividade distantes do comandante rubro-negro.

Contra o Atlético-GO, neste domingo, às 18h30, no Engenhão, Papai Joel ganha uma nova sobrevida não em função do discurso de falsas aparências dos dirigentes, mas pelo fato de o Fla ainda não estar fechado com um dos nomes pretendidos pelo clube. O LANCENET! transmitirá a partida de logo mais em tempo real.

O escudo invisível que separa o treinador dos dirigentes é um retrato fiel do cenário que, extraoficialmente, coloca Joel Santana com os dois pés fora da Gávea.

Exatamente uma semana depois que a cúpula de futebol iniciou tratativas internas sobre Dunga e Jorge Sampaoli, os preferidos para o lugar do atual técnico, o treinador foi exposto publicamente a um processo de fritura jamais admitido pelos dirigentes.

Desde o início da semana, havia um consenso de que Joel não continuaria à frente do time no decorrer do Brasileirão. A demissão, entretanto, esteve sempre atrelada a um eventual acerto com Dunga ou Sampaoli.

Conspiraram a favor do atual treinador, entretanto, a repercussão negativa sobe o nome ideal nas visões de Zinho e de Michel Levy, vice de finanças do Flamengo.

Com Dunga reprovado pela maioria da torcida e nenhum contato oficial com o técnico argentino, Joel Santana, então, se defendeu, e apegou-se ao seu passado. Com o orgulho ferido ele chega, de certa maneira, constrangido, para tentar reaproximar o Flamengo do pelotão de elite do Brasileirão.

Um triunfo contra o Dragão não fará com que a diretoria mude sua opinião sobre a saída do técnico.

A vitória, entretanto, pode causar uma nova saia justa nos homens de futebol. Afinal, os três pontos poderiam apaziguar os ânimos dentro de campo no Flamengo e postergar, justamente na semana que antecederá o clássico diante do Fluminense, mais uma possível demissão do treinador. Até lá, é aguardar pelas próximas cenas de uma novela repetida na Gávea que remonta à saída de Vanderlei Luxemburgo no início do ano.

Você comentarista: