Ação por danos morais foi motivada por 'revolta' de R49

Advogados de Ronaldinho entram na Justiça pedindo R$ 15 milhões por danos morais ao Flamengo

LANCEPRESS! - 28/06/2012 - 19:31 Rio de Janeiro (RJ)

Ronaldinho Gaúcho - Flamengo (Foto: Paulo Sérgio)

A exposição pública que os dirigentes do Flamengo fizeram após Ronaldinho conseguir na Justiça do Trabalho uma liminar rompendo o contrato de forma unilateral com o clube, foi respondida com mais uma ação dos advogados do jogador, na qual pedem desta vez uma indenização de R$ 15 milhões ao Fla por danos morais.

Sergio Queiroz, advogado particular do empresário Assis e Ronaldinho, conduz o processo em questão e explica as razões as quais motivaram a decisão.

– Nos baseamos nas ofensas ao Ronaldinho. O clube alegou e tornou público que o Ronaldo não tinha a conduta adequada. A questão do álcool no sangue. Um exame que não existe. Isso foi a gota d'água para nos motivar a entrar com ação. Isso atingiu a honra e dignidade do atleta. Causou dor e revolta – disse o advogado.

Entre os ataques, o que mais deixou Ronaldinho irritado foi o do vice jurídico do clube, Rafael de Piro, que chegou a afirmar que o Flamengo tinha um exame de sangue que constatava a presença de álcool no sangue do jogador. As declarações de Zinho dando a entender que o atacante foi treinar sem condições também serão levadas em consideração.

– Todos nós estamos sujeitos a essas situações. Não é porque você saiu de empresa que o seu chefe pode chegar para todo mundo e ficar dizendo coisas a seu respeito. Independente se aconteceu ou não, cabe processo judicial. Qualquer trabalhador pode usar a Justiça para fazer valer o seu direito. E é isso que nós estamos fazendo. Agora o clube vai ter de provar – encerrou Sergio Queiroz.

Você comentarista: