Segundo Luiz Lima, Travessia dos Fortes tem cotoveladas e puxadas de pé

Pentacampeão, que está de volta à competição após dois anos sem disputá-la, revela a deslealdade de outros atletas

LANCEPRESS! - 30/03/2012 - 16:06 Rio de Janeiro (RJ)

A dificuldade de atravessar nadando os 3.600 metros que separam os Fortes do Leme e de Copacabana é nítida, tendo em vista a grande distância e as ondulações da água do mar. Porém, segundo o maior vencedor da Travessia dos Fortes, Luiz Lima, os competidores ainda têm que enfrentar a deslealdade de outros atletas.

- Tem esbarrão, cotovelada, puxada de pé e pessoas afundando as outras sem querer. Quando emparelha lado a lado, tem atleta que gosta de empurrar o ombro do adversário impedindo que ele consiga nadar - contou o nadador, que venceu cinco edições consecutivas, entre 2002 e 2006.

Segundo o árbitro Ricardo Ratto, da Federação Internacional de Natação, as atitutes relatadas por Luiz Lima são duramente combatidas pelas organizações de eventos como este.

- O nadador não pode tocar intencionalmente no adversário e muito menos agredir - disse Ricardo Ratto, explicando que a arbitragem adverte o atleta com a bandeira amarela na primeira infração e com bandeira vermelha, de expulsão, em caso de nova penalidade.

A Travessia dos Fortes acontece uma vez por ano e está em sua 12ª edição, programada para o próximo domingo, a partir das 9h35.

Você comentarista: