Kissya é suspensa preventivamente após doping e fica fora da final C

Em comunicado oficial, Comitê Olímpico Brasileiro anuncia que remadora foi suspensa após exame pré-competição, ainda no Brasil, no dia 12 de julho

Fábio Aleixo - 04/08/2012 - 07:20 Londres (ING)

Kissya Cataldo - Remo (Foto: Eric Feferberg/AFP)

A remadora Kissya Cataldo não disputou a final C nos Jogos Olímpicos de Londres, que valia a 13ª colocação no single skiff feminino, na manhã deste sábado, por causa de doping. Em comunicado oficial, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) informou que a atleta foi suspensa preventivamente pela Confederação Brasileira de Remo (CBR) por ter apresentado resultado analítico adverso em exame pré-competição, realizado no Brasil, no dia 12 de julho, pela Federação Internacional de Remo (Fisa).

"A Missão Brasileira foi informada da suspensão na manhã deste sábado, dia 4, e a atleta já não participou da prova de single skiff dos Jogos Olímpicos Londres 2012", diz trecho da nota.

O chefe de equipe do remo, Sergio Brasil Sztancsa, contou que a notícia pegou toda a delegação de surpresa. Ele foi chamado antes da prova deste sábado para ir ao escritório da Fisa, quando foi informado do doping. Segundo ele, os dirigentes da entidade disseram que, a partir daquele momento, a remadora estava suspensa de provas internacionais.

- É lamentável. Estou com muita pena dela. Quando comuniquei o resultado do exame, ela ficou surpresa. Disse que toma os mesmos medicamentos e suplementos há tempos. A Kissya já fez vários exames e nunca apresentou nada. Não teve má fé dela, mesmo porque sabia que passaria por muitos exames. Imaginamos que ela tomou alguma coisa inadvertidamente. Ela já pediu para fazer a contraprova, mas vamos ter de ver esta situação quando voltarmos ao Brasil. Ficamos chateados pois isso repercute mal para o remo - afirmou Sztancsa.

Segundo a assessoria de imprensa da atleta, a substância detectada no exame foi a eritropoetina (EPO), que melhora a performance pois aumenta a quantidade de glóbulos vermelhos no sangue.

- Agora precisamos ver quais serão os próximos procedimentos. O COB vai poder dar mais informações. A direção da confederação de remo sempre informou os remadores brasileiros sobre os produtos proibidos e o COB sempre pediu que os atletas informassem os produtos que estão tomando. Teremos de ser mais rigorosos. Mas isso é inerente a nossa vontade. Não dá para controlar o que o atleta toma em casa - finalizou Sztancsa, informando que a remadora sairá da Vila Olímpica e ficará no centro de treinamento de Crystal Palace até o COB conseguiu comprar a passagem de volta para o Brasil. O problema é que os voos estão lotados.

Estreante em Jogos Olímpicos, Kissya começou sua trajetória em Londre no último sábado, quando passou na eliminatória em quarto lugar. Depois, nas quartas de final, a brasileira encerrou em quinto e não avançou, tendo de disputar a semifinal C/D na sexta-feira. Ela ficou em segundo e disputaria neste sábado a final C, que valeria da 13ª a 18ª posição. Ela é atleta do Flamengo.

Você comentarista: