Dorival explica atuação ruim do Inter por mexidas no meio

Técnico colorado escalou quatro jogadores diferentes no setor e tinha sete desfalques para o confronto

Eduardo Moura - 29/03/2012 - 01:07 Lajeado (RS)

Inter x Lajeadense (Foto: Alexandre Lops/Inter)

Nem o resultado, nem a atuação. O jogo com o Lajeadense, na noite desta quarta-feira, não foi daqueles que se pode desconsiderar o desempenho para se exaltar o escore final. O empate em 0 a 0, com quase duas chances criadas em 90 minutos, foi justificado por Dorival Júnior pelas mudanças na equipe titular.

A classificação colorada, com o ponto conquistado, ficou perto. Basta que o Ypiranga, nesta quinta-feira, não vença o Canoas. O comandante do Internacional considerou as dificuldades normais. O meio de campo foi totalmente modificado: Tinga, Guiñazu, D'Alessandro, Oscar e Dátolo estiveram fora de ação. Elton, Bolatti, Jajá e João Paulo foram os escolhidos.

E MAIS
> Inter empata, mas está perto da vaga no Gauchão

- Natural. É um setor de criação, carece de um pouco mais de conjunto. Alteramos quatro posições. É um fato natural ter dificuldades. Seis ou sete alterações dificultam muito. Tivemos posse de bola, mas não tivemos objetividade na transição, com penetrações. Isso dificultou um pouco. É natural também que encontramos uma equipe bem postada e que marcou muito forte - identificou Dorival.

O Estadual do Rio Grande do Sul tem uma aura muita lembrada vez ou outra: lama, botinadas, pouco futebol e muita luta. Não inteiramente nessas características, mas o próprio treinador afirmou que o jogo teve esses moldes.

- Foi um jogo muito brigado, tradicional do nosso Gauchão. Eles tiveram bom apoio pelas laterais. Jackson não foi mal na lateral, foi um jogo muito duro. Nossa marcação estava encaixada, como a deles, e isso dificultou tudo - disse.

O Inter fica de olho na TV para garantir a classificação e pensa no Canoas, no próximo domingo, às 16h, no Beira-Rio.

Você comentarista: