À espera de reforços, Barcos afirma: 'Não podemos passar vergonha na Libertadores'

Atacante ressaltou a importância da chegada de novos reforços e admitiu que o Palmeiras tem elenco mais fraco que os rivais

LANCEPRESS! - 17/01/2013 - 09:02 São Paulo (SP)

Barcos - Palmeiras (Foto: Tom Dib)

As eleições presidenciais no Palmeiras travaram as negociações para 2013. Com o fim do mandato do presidente Arnaldo Tirone, o clube fez apenas duas contratações para a temporada - Fernando Prass e Ayrton - e a chegada de reforços é vista como prioridade. Na tarde da última quarta-feira, o atacante Barcos disse que espera a chegada de novos atletas para não "passar vergonha" na Copa Libertadores. Segundo ele, o Verdão está em desvantagem dos rivais.

- É lógico que o Palmeiras está atrás de todo mundo. Mas o grupo tem 11 jogadores, alguns ficaram, outros chegaram e estão todos bem. Todos querem estar no Palmeiras, querem brigar, querem ser vencedores. Isso é o mais importante. Vamos entrar para ganhar e não só para participar. Um clube grande como o Palmeiras não pode passar vergonha na Libertadores. Nós fazemos a nossa parte, a diretoria que está saindo faz a sua parte - discursou.

Barcos também fez questão de rechaçar o favoritismo na Série B do Brasileiro. Para ele, o acesso não está garantido.

- O trabalho que estamos fazendo, nós temos de fazer para subir. Temos que ter consciência, tanto a torcida e quanto a imprensa também, que temos de jogar a Série B e temos de ganhar para voltar à Série A. Todo mundo acredita que já estamos na Série A e é um erro. Temos 38 jogos e temos de jogar uma a uma - completou.

Barcos diz que Riquelme seria boa companhia para Valdivia


Ainda sobre comprometimento do elenco enxuto, o Pirata citou o companheiro Valdivia - que faltou na reapresentação na pré-temporada - e pregou tratamento igualitário a todos do grupo.

- Cada um tem a sua responsabilidade. O dia que tem que estar todo mundo, tem de estar. Não tem de depender de nome, tem de ser igual para todo mundo. Valdivia ficou no Chile trabalhando e não teve férias. Ele tem a sua palavra. O (Fabinho) Capixaba não saiu na imprensa. O grupo não quer que o Valdivia seja multado ou Capixaba ou qualquer outro garoto. Queremos um grupo que tenha comprometimento e que queira ficar. O que não quer, tem de ir embora. Ano passado tinha 40 jogadores e agora todo mundo quer ficar no Palmeiras. Se hoje você tem 11 jogadores, 100% quer ficar. Eu prefiro 11 que queiram jogar sem nenhum no banco - encerrou.

Barcos renovou contrato com o Palmeiras até o fim de 2016. O atacante ganhou um reajuste salarial (de R$ 250 mil para R$ 400 mil) e teve multa rescisória ampliada para 20 milhões de euros (R$ 54 milhões).

Você comentarista: