Bahia vai dispensar Freddy Adu, que adiciona novo fracasso à carreira

'Novo Pelé' não terá contrato renovado. Vínculo termina no fim de dezembro

Igor Siqueira - 07/11/2013 - 09:04 Rio de Janeiro (RJ)

Freddy Adu (Foto: Felipe Oliveira/Divulgação Bahia)

Freddy Adu está com os dias contados no Bahia. A diretoria tricolor não pretende renovar o vínculo com o jogador norte-americano, que se encerra em dezembro, colocando fim a mais uma experiência frustrante da carreira do atacante, que já foi chamado de "novo Pelé".

Adu está com 24 anos, foi apresentado em abril, contratado junto ao Philadelphia Union como "troco" da negociação pelo volante Kleberson, e quase não entrou em campo este ano. O americano não emplacou com Joel Santana e Cristóvão Borges. O motivo? Deficiência técnica.

- Ele não joga porque entendemos que outros são superiores e aí ele não teve tantas oportunidades assim. Vai acabar o contrato e o Adu vai seguir a vida dele. Vai ficar livre para procurar outro clube - contou ao LANCE!Net o diretor de futebol do Bahia, Anderson Barros.

Os números de Adu são quase nulos. Segundo o Footstats, ele atuou em três partidas em 2013 - duas pela Sul-Americana e uma pelo Brasileiro -, não marcou gols, nem deu assistências. Mas a falta de oportunidades não virou motivo para rebeldia.

- Ele é muito dedicado, não tenho nada para falar dele extra-campo. Ele interage com os jogadores, é extrovertido, tem o jeito dele. É um cara tranquilo, consegue fazer tudo sozinho na cidade. Já conversei com ele. O Adu disse que entende a situação. Ele é muito profissional - completou Anderson Barros, que, no entanto, reconhece a falta de utilidade do jogador ao clube:

- Qualquer jogador não utilizado acaba virando um peso. Não é interessante ter um atleta que não atue, ainda que ele não ganhe tanto.

Nem mesmo os representantes do jogador chegaram a fazer contato com o Bahia para averiguar os motivos da inutilização de Adu.

- Acho que acabaram perdendo o contato, pois a negociação foi feita pela gestão anterior - diz Barros.

Na Bahia, tem torcedor que nem se lembra que Adu está no clube. A reação nas redes sociais quando o banco de reservas do jogo contra o Atlético-PR, pelo Brasileiro, o último para o qual o atacante foi relacionado, é uma prova disso. E pensar que quando Adu foi contratado pensou-se em usar a imagem dele como força do marketing.

- A organização de um projeto de marketing passa pelo que acontece dentro de campo. Não tem marketing se o jogador não joga - responde o dirigente do Bahia.

O Bahia é o nono clube de Freddy Adu, que apareceu para o mundo a partir de 2004, quando tinha 15 anos . Antes da experiência no Brasil, ele passou por D.C. United, Real Salt Lake (ambos dos EUA), Benfica, Monaco, Belenenses, Aris-GRE, Çaykur Rizespor e Philadelphia Union. Tirando os dois primeiros, ele foi um fiasco em todos os outros. Onde será a próxima tentativa de sucesso?

Você comentarista: