Rafael Carioca projeta dupla com Rômulo no Spartak

Volante, que atuou no Vasco em 2010, conta como é a adaptação na Rússia e vislumbra boa campanha na próxima temporada

Nelson Lima Neto - 30/06/2012 - 12:07 Rio de Janeiro (RJ)

Rafael Carioca (Foto: Cleber Mendes)

Rômulo terá um rosto conhecido ao chegar ao Spartak (RUS). Contratado na última quinta-feira por R$ 20 milhões, o volante poderá fazer dupla com Rafael Carioca, que passou pelo Vasco em 2010 e atuou ao lado do ex-camisa 37.

Em conversa exclusiva com o LANCENET!, Rafael Carioca já vislumbra a possibilidade de formar dupla de meio de campo com Rômulo no time de Moscou e vê com bons olhos os investimentos do clube pensando na próxima temporada.

- Acredito que não tenhamos problemas em jogar juntos. Aqui na Rússia, os times geralmente são formados com dois volantes e dois armados. Não existe uma função específica de primeiro ou segundo homem de meio. A expectativa é muito boa. Com a chegada do Rômulo o time vai se reforçando. Quem sabe não colocamos o nome do Spatak no cenário europeu – disse Rafael.

Sobre sua passagem pela Colina História, Rafael Carioca lembra da boa relação que tinha com os jovens jogadores do elenco cruz-maltino.

- Eu já tinha uma rodagem. Quando cheguei, me aproximei muito dos jovens atletas do elenco. Do Allan, do Jonathan... o Rômulo era um deles. Sempre passava alguma coisa. Foi um bom momento na minha carreira – lembrou.

Além de Rafael, Rômulo terá a companhia de mais dois brasileiros no time de Moscou: dos atacantes Ari, ex-Fortaleza e Wellinton, ex-Goias. O Spartak é maior campeão russo, com nove títulos.

ADAPTAÇÃO TRANQUILA

As dificuldade naturais de se enfrentar um mudança drástica não devem atrapalhar Rômulo por muito tempo. Segundo Rafael Carioca, no início existem dificuldades em função de se enfrentar uma liga diferente, uma cultura diferente. Porém, com o passar do tempo, o cotidiano se torna mais fácil e Moscou surge como uma boa cidade para se viver.

- É complicado quando você muda de país. Não sabe como tudo funciona, como são as pessoas. As dificuldade irão existir no começo. Mas com o passar do tempo, depois de três ou quatro meses, você acaba se acostumando. A Rússia é um ótimo país para se morar, com uma boa qualidade de vida, bons restaurantes. Moscou é uma boa cidade – exaltou o volante brasileiro.

Você comentarista: