Val Baiano é candidato a novo ídolo do Flamengo

Começo de atacante na Gávea é semelhante ao do xodó Obina

LANCEPRESS! - 12/10/2010 - 09:26

Val Baiano no Flamengo (Crédito: Eduardo Viana)

Ambos são baianos, têm 1,83m, já foram questionados pela forma física e
ouviram impropérios da torcida. Um, no entanto, já ganhou a alcunha de
xodó na nação rubro-negra pelos gols decisivos.

O outro parece começar a trilhar o caminho do folclore e virar, também,
um xodó. E não é queVal Baiano parece, aos poucos, trilhar os mesmos
passos de Obina no Flamengo? Em 2005, a situação de Obina era parecida
com a atual de Val Baiano no Flamengo. Contratado para ser o artilheiro
da equipe, viveu jejum, foi questionado pelos quilinhos a mais e virou
deboche. Folclore, até. Então, o Flamengo precisava de gols para fugir
do rebaixamento. Um deles, contra o Paraná, livrou definitivamente o
Rubro-Negro da degola. O autor? Ele mesmo, Obina.

Antes motivo de chacota, o atacante começou a dar a volta por cima. Fez
gol em decisão contra Vasco e Botafogo e foi embalado em tardes no
Maracanã por uma música em que se tornava melhor do que o atacante
camaronês Eto’o.

Val Baiano ainda não fez tanto, claro. Mas começou a marcar seus
golzinhos. Em apenas dois jogos com Vanderlei Luxemburgo no comando da
equipe, marcou três vezes. Passou até Deivid, autor de dois gols, e
ganhou a vaga de titular. Antes, porém, viveu seu inferno astral. Virou
motivo de piada, deboche. Quando marcou o primeiro gol pelo Flamengo,
diante do Atlético-GO, na semana passada, rubro-negros comemoraram e
riram ao mesmo tempo. Nos corredores da Gávea, já lhe sopraram no ouvido
de que sua trajetória lembra, e muito, a de Obina.

– O pessoal tem comentado, né? Obina sofreu a mesma humilhação, tomou a
mesma porrada que eu e, depois, virou ídolo, melhor do que Eto’o. Espero
que possa dar a mesma alegria que ele deu a todos nós, flamenguistas –
afirma Val Baiano.

Chamado até de Val Bulani, em deboche, o atacante deu de costas. Não que
seja melhor do que Eto’o. Val quer apenas o carinho da nação.

Você comentarista: