Flamengo gera pouca receita com programa de sócio-torcedor

Clube divulga balancete que aponta arrecadação de apenas R$ 1,38 milhão em três meses de programa

LANCEPRESS! - 25/08/2013 - 10:03 Rio de Janeiro (RJ)

Flamengo em campanha do sócio-torcedor promete reforços (Foto: Reprodução)

O Flamengo divulgou, na sexta-feira, os balancetes financeiros dos dois primeiros trismestres de 2013. E dois pontos chamaram a atenção nesse primeiro resultado da gestão de Eduardo Bandeira de Mello.

A primeira constatação e negativa é de que o clube teve uma receita de apenas R$ 1,38 milhão com o programa sócio-torcedor em três meses. A expectativa, quando o clube lançou o Nação Rubro-Negra, era de que se arrecadasse entre R$ 140 milhões e R$ 600 milhões por ano. Atualmente, o clube conta com quase 35 mil sócios.

E MAIS
> Flamengo perde para Grêmio em Brasília
> Após derrota, jogadores do Flamengo focam na Copa do Brasil

RELEMBRE
> Vazam detalhes do programa sócio-torcedor do Flamengo
> Flamengo lança novo programa para sócio com Zico

O Rubro-Negro também teve uma queda significativa em relação ao faturamento com bilheterias. Até junho de 2013, apenas R$ 1,8 milhão contra R$ 5,2 milhões no mesmo período do ano passado.

O balanço, por sua vez, aponta uma redução do déficit de R$ 16 milhões para R$ 10,2 milhões e um ligeiro aumento da receita oriunda do marketing: R$ 17,4 milhões para R$ 19,6 milhões.

Um dos itens, "negociação de atletas", mostra redução de R$ 23,8 milhões para R$ 7,7 milhões desde dezembro do ano passado. Os direitos de imagem também caíram de R$ 50 milhões para R$ 13 milhões.

A divulgação do balancete financeira não foi uma prática comum nas gestões anteriores. O torcedor pode acompanhar todos os detalhes da planilha no site oficial do Flamengo (www.flamengo.com.br).

CONVOCAÇÃO

O presidente Eduardo Bandeira de Mello foi convocado para prestar esclarecimentos ao Conselho Deliberativo no dia 2 de setembro. Documento emitido na sexta-feira exige explicações sobre o fato de ele ter dado o Ninho do Urubu como garantia no caso não de pagamento de impostos. O dirigente ainda precisará falar sobre o contrato de exploração do estacionamento da Gávea e o acordo para uso do Maracanã até o fim deste ano.

Você comentarista: