Contrato da Adidas pode chegar a R$ 465 mi e, se aprovado, Fla terá nova camisa no Brasileirão de 2013

Cifras astronômicas sofrem reajustes de acordo com o índice de inflação. Partes chegam a entendimento sobre duas cláusulas para encaminhar acordo para Conselho Deliberativo

Bruno Braga e Eduardo Mendes - 08/10/2012 - 07:01 Rio de Janeiro (RJ)

Moda casual do Flamengo e Olympikus celebra centenário do futebol (Foto: Luiz Pires/VIPCOMM)

O Conselho Deliberativo do Flamengo receberá nos próximos dias a proposta consolidada da Adidas, que poderá chegar a pouco mais de R$ 465 milhões por um contrato de dez anos e com previsão de lançamento das novas camisas, se aprovada, para a estreia no Campeonato Brasileiro de 2013.

As novas cifras superam os R$ 350 milhões iniciais pelo fato de haver um reajuste a partir do índice de correção da inflação. Dessa maneira, os R$ 35 milhões que entrariam nos cofres do clube a partir de 2013 sofrerão aumentos progressivos a partir de acréscimos de 5,6%, que é o índice previsto até o fim do mês, data na qual pode ser assinado o contrato entre as partes.

Esse índice regerá o crescimento, conforme previsto em cláusula no acordo, fazendo com que o valor do último ano, em 2022, chegue a ser de R$ 57,09 milhões. O contrato total, por sua vez, renderia ao Flamengo R$ 452,48 milhões.

A conta fecha incluindo ainda os R$ 13 milhões que entrarão a título de luvas para ressarcimento para a Olympikus pelos gastos com a construção do museu. A atual fornecedora havia adiantado R$ 10 milhões. Ainda, porém, restam outros R$ 3 milhões a serem pagos para que obra seja concluída.

Há também outros R$ 25 milhões de bonificação que já estão diluídos no valor total do contrato e seriam depositados na conta do clube na primeira semana de janeiro.

Esse montante, na primeira proposta enviada ao Flamengo, em 27 de abril, seria descontado nos primeiros cinco anos de contrato. Razão que faria com que o clube recebesse R$ 30 milhões nesse período, reduzindo R$ 5 milhões por ano. O valor de luvas, por sua vez, também está dentro da previsão de reajuste da inflação, mas em um patamar inferior.

A multinacional alemã e o Flamengo negociam esta semana apenas duas cláusulas do contrato. Uma delas diz respeito a possíveis valorizações da marca, no futuro, e o clube quer se resguardar em relação aos montantes que seriam recebidos.

Sem prejudicar a Olympikus

O uso dos uniformes da Adidas a partir só do Campeonato Brasileiro, caso a proposta seja aprovada, é uma estratégia que engloba um acordo em comum com a Olympikus e que não faz com que parte alguma seja prejudicada.

Isso porque a atual fornecedora teria tempo hábil para esvaziar o estoque de produtos e a Adidas, prazo para preparar a entrada no clube, pensando não só em na confecção, mas também no lançamento da camisa rubro-negra.

Os clubes que integram a Classe A da empresa tiveram as camisas para 2013 desenhadas em maio deste ano. E a demanda de distribuição dos produtos é em escala em nível mundial.

Desde o fim de agosto, quando a Olympikus teve o prazo para responder se cobriria a nova oferta da concorrente, a fornecedora jamais conseguiu igualar a proposta milionária apresentada pela Adidas.

A parceira vigente do Flamengo tentou reajustes do atual contrato, aumentando bonificações. No clube desde 2009, a Olympikus paga ao Rubro-Negro aproximadamente R$ 18 milhões. Valor que já sofreu reajustes de inflação. O do primeiro ano era de R$ 14 milhões.

Candidatos da Europa no páreo

Caso não seja aprovada pelo Conselho Deliberativo do Flamengo, a proposta feita pela Adidas de integrar o clube ao grupo Classe A da multinacional será levada a outros clubes europeus. Um deles faz parte do leste da Europa, mas tem o nome mantido sob sigilo. A prioridade é rubro-negra.

A oferta da Adidas ainda gera resistências de alguns setores do clube por causa do longo período do contrato.

– O que nós queremos é um reajuste desses valores após cinco anos de contrato. Eu falei que não poderia ser votado se fosse um contrato de adesão – disse Leonardo Ribeiro, presidente do Conselho Fiscal do clube.

Os detalhes do contrato

Valor por ano sem inflação

R$ 17,5 milhões pela exclusividade, R$ 8 milhões em fornecimentos de produtos, R$ 8 milhões de garantia mínima de recebimento de royalties e R$ 1,5 milhão em ações de marketing.

Royalties

Produtos com as marcas Adidas e do clube: 10%; produtos com as marcas do clube apenas: 4%

Bônus previstos em caso de títulos

Campeonato Carioca - R$ 200 mil
Copa do Brasil - R$ 200 mil
Copa Sul-Americana - R$ 200 mil
Campeonato Brasileiro - R$ 750 mil
Copa Libertadores - R$ 750 mil
Mundial de Clubes - R$ 800 mil

Você comentarista: