Bebeto aprova estreia do filho no Flamengo: 'Entrou com personalidade'

Ex-jogador do Rubro-Negro esteve no Engenhão na sexta-feira onde prestigiou a estreia de Matheus na equipe profissional

Claudio Portella - 04/02/2012 - 07:07 Rio de Janeiro (RJ)

Bebeto e Matheus (Foto: Gilvan de Souza)

O ex-jogador Bebeto foi ao Engenhão na sexta-feira não só para assistir o time de coração mas também a seu filho, Matheus. O jovem de 17 anos fez a sua estreia na equipe principal do Flamengo ao entrar na segunda etapa, aos 32 minutos. O empate entre o time B do Rubro-Negro e o Olaria por 0 a 0, não teve muita importância, já que o jogo válido pela terceira rodada do Campeonato Carioca, não tinha muito apelo. No entanto, para o ídolo rubro-negro e tetracampeão mundial, será difícil esquecer.

- Foi uma emoção muito grande. Passou aquele filme na cabeça. Mas ele entrou com personalidade e confiança. Está começando a carreira e terá muita coisa pela frente - disse o ex-atacante, elogiando a atuação do filho.

Bebeto assistiu a partida e esperou Matheus no estacionamento do Engenhão. Com toda a família, ele não escondia a sua satisfação. Campeão brasileiro em 1987, quando fez o gol do título do Fla, na decisão contra o Internacional, seu semblante era de puro orgulho por estar vendo seu filho no clube que o projetou.

- Eu passo para ele estar sempre com a cabeça no lugar, mas isso é tranquilo porque é um garoto muito centrado - afirmou.


Matheus mostrou habilidade na perna esquerda em jogo contra o Olaria (Gilvan de Souza)

As características de pai e filho são diferentes dentro de campo. O garoto é meia esquerda e canhoto, mas assim como Bebeto costuma balançar as redes. Na última partida do Campeonato Carioca de Juniores marcou três gols.

Contudo, a grande semelhança que possuem é a facilidade nas cobranças de faltas.

- Aprendo muito com o meu pai. Estamos sempre conversando. Ele batia faltas muito bem e tenho essa qualidade também. É de família (risos) - disse a promessa.

Com um largo sorriso, alguma timidez, e um ótimo professor em casa, com certeza Matheus e Bebeto sempre se recordarão do sonolento empate sem gols com o Olaria. Por um longo tempo.

Você comentarista: