Adidas e Fla se entendem sobre número de patrocinadores na camisa

Multinacional alemã chegou a pedir que fossem apenas duas marcas e ouviu 'não'. Partes definiram em comum acordo sobre três patrocínios

Bruno Braga e Eduardo Mendes - 23/10/2012 - 07:01 Rio de Janeiro (RJ)

Moda casual do Flamengo e Olympikus celebra centenário do futebol (Foto: Luiz Pires/VIPCOMM)

Caso assine o contrato de material esportivo com a Adidas – que passaria a valer a partir do ano que vem –, o Flamengo poderá ter na camisa no máximo três patrocinadores. Esse é um dos pontos acertados entre as partes e que está na minuta do contrato que será apreciado pelo Conselho Deliberativo do clube. Nas conversas recentes sobre essa questão, a multinacional alemã chegou a pedir que apenas dois espaços da camisa fossem negociados, possibilidade que foi rechaçada pelo Flamengo.

O número de marcas combinado entre as partes é inferior aos quatro patrocínios com os quais o Rubro-Negro tem contrato vigente. Poderiam ainda ser cinco patrocinadores, considerando que a principal propriedade da camisa – frente e costas – está limpa. Esses quatro parceiros do Flamengo geram uma receita ao clube de aproximadamente R$ 19,5 milhões anuais.

Se a Adidas for a fornecedora esportiva do clube, os próximos patrocinadores, caso sejam três, teriam, juntos, de produzir uma receita de cerca de R$ 45 milhões. Montante baseado na expectativa de arrecadação do Flamengo para 2012, incluindo um contrato de R$ 25 milhões negociado a partir do patrocínio master, algo que não foi conseguido pelo marketing do clube.

Antes mesmo de definir o acerto com a Adidas, o Flamengo se prepara para negociar as renovações dos contratos de patrocínio que irão vencer. Caso contrário, o Rubro-Negro corre o risco de ter, a partir de março, apenas um parceiro. Isso porque os vínculos com a Triunfo Logística, Banco BMG e Mobil irão expirar até fevereiro de 2013. E apenas a TIM teria a logomarca exposta no uniforme – nos números da camisa. E se isso acontecer, os cerca de R$ 19,5 milhões assegurados em 2012 seriam reduzidos drasticamente a R$ 2,5 milhões, que são desembolsados por ano pela operadora de celular.

Negociações estão paradas

As conversas entre Flamengo e Adidas estão congeladas desde a semana passada porque os executivos da empresa, que tem sede em São Paulo, encontram-se na Alemanha. A ideia da multinacional, caso o clube aceite a proposta, é de que o contrato seja assinado até o início do mês de novembro.

O departamento de marketing, por meio do vice Henrique Brandão, é quem assumiu as negociações depois que Hélio Ferraz, vice geral do Flamengo, licenciou-se do clube.

O acordo proposto pode chegar a pouco mais de R$ 465 milhões por um contrato de dez anos e com previsão de lançamento das novas camisas, se aprovada, para a estreia no Campeonato Brasileiro de 2013. As novas cifras superam os R$ 350 milhões iniciais pelo fato de haver um reajuste a partir do índice de correção da inflação.

A SITUAÇÃO DOS PATROCINADORES

Triunfo Logística - Ocupa o ombro da camisa do Flamengo. Contrato rende R$ 3 milhões e vencerá no fim deste ano. Jorge Rodrigues, dono da empresa, está disposto a renovar por mais um ano.

Banco BMG - Contrato com o Flamengo se encerrará em fevereiro de 2013. A marca estampada na manga da camisa rende R$ 9 milhões por ano. Banco não decidiu ainda se irá renovar o vínculo com o clube.

Patrocínio master - O espaço mais nobre da camisa do Flamengo está vago desde o início deste ano. A pedida inicial era de R$ 25 milhões. O clube, porém, não conseguiu um acordo por esse valor.

Mobil - A marca está estampada na barra da camisa e o contrato é até fevereiro de 2013. A entrada da empresa, que paga R$ 5 milhões, aconteceu por meio de um acordo entre as partes relativo a uma dívida.

TIM - A operadora de telefonia móvel exibe a marca dentro do número. O contrato é até março de 2014 e rende R$ 2,5 milhões anuais. É a única empresa garantida pelo Flamengo para a próxima temporada.

Você comentarista: