Tite x Oswaldo: duelo de títulos históricos pelo Timão

Recém-campeão da Copa Libertadores, gaúcho enfrentará o comandante do título Mundial. Segundo historiador, são TOP 5

Marcelo Braga - 11/07/2012 - 09:00 São Paulo (SP)

Tite e Oswaldo de Oliveira (Fotos: Ari Ferreira e Patrick Szymshek)

O torcedor o xinga de burro, contesta sua escalação e diz que entende muito mais de futebol do que ele. Mas, quando um técnico é vitorioso, vai de besta a bestial e fica marcado na história. Principalmente em grandes conquistas.

– (Carlos Alberto) Parreira tem uma frase que roubei e dou os méritos: “Campeão a gente respeita. Pode até divergir ou qualquer coisa, mas campeão se respeita.”

O comentário é do técnico Tite, que nesta noite fica frente a frente com Oswaldo de Oliveira  em duelo com o Botafogo, partida remarcada e válida pela sétima rodada do Brasileirão (com transmissão em tempo real pelo LANCENET!).

Profissionais que estão e ficarão para sempre na galeria dos grandes técnicos da história alvinegra.

Recém-campeão da Copa Santander Libertadores – a obsessão da torcida desde os anos 90 –, o gaúcho venceu também o quinto Brasileirão do clube, em 2011. Após a entrega do troféu do título continental, há uma semana, deu volta olímpica sozinho pelo Pacaembu apontando o título para os fiéis...

Relação sentimental de entrega com a torcida que Oswaldo também teve com os corintianos, mas no Maracanã, em janeiro de 2000, no título mundial. Nos braços da Fiel, foi exaltado e carregado: a consagração. Auxiliar de Luxemburgo em 1998, havia assumido o time em 1999 e, naquele ano, ganhado também Paulista e Brasileiro.

Segundo o historiador Celso Unzelte, estão na galeria dos cinco principais técnicos e com conquistas mais marcantes desde 1910 (veja ao lado). Mas é difícil definir qual venceu o título mais importante...

– Cada equipe tem a sua própria história, sua própria característica, seu próprio momento – desconversa Tite, que após a conquista lembrou da importância de Oswaldo Brandão, campeão em 1977.

Curiosamente, em 2004, Oswaldo de Oliveira e Tite tiveram outras passagens pelo Timão – a primeira do carioca e a segunda do gaúcho. Ambas, porém, sem conquistar título algum. Nada que prejudique a história bonita que escreveram. Hoje é um encontro de vencedores.

NA MEMÓRIA DE TITE
"O título da Libertadores, com certeza, ficará marcado (na sua vida, como o Mundial de Clubes, de 2000, para Oswaldo de Oliveira). Porque, para ganhar, a gente sabe o quanto é difícil. Tem alguns profissionais que têm esse título, mas acho que são muito poucos no Brasil. Estou muito feliz e isso vai ficar marcado, sim. O tempo vai passar e o título, permanecer, principalmente da forma como foi. Não adianta, vai ficar marcado. Mas como ficaram marcados também um título gaúcho pelo Caxias, uma Copa do Brasil pelo Grêmio, uma Copa Sul-Americana invicta pelo Internacional. E vou dizer... Invicto tem um gostinho a mais."

NA MEMÓRIA DE OSWALDO
"O Mundial de 2000 e a Libertadores deste ano foram duas das mais importantes conquistas da história do clube. Eu me lembro todos os dias da nossa conquista no Maraca. É a maior expressão da minha carreira, inegavelmente. Com relação a Tite, o título foi o resultado de um trabalho maravilhoso realizado no clube. Além de inédito, fizeram de maneira invicta. São títulos importantes para um clube maravilhoso, que merece porque tem torcida que é francamente apaixonada, e que se renova o tempo todo. Tenho certeza de que vão invadir o Japão no fim deste ano para a disputa do Mundial de Clubes."

Com a palavra: Celso Unzelte
Jornalista e historiador, autor do livro “Almanaque do Timão”

Na história, o maior ainda é o Brandão

Pelo grau de importância, o Mundial que Osvaldo ganhou é o mais importante. Mesmo contestado, é um Mundial. Agora, pelo calor da hora e pela maneira como a Libertadores era aguardada, a coisa tende para o Tite. Dá um empate técnico e todo mundo fica feliz...

Mas, na história, o maior de todos ainda é o Brandão. Tecnicamente, do ponto de vista de enxergar o jogo, nunca houve outro um como Luxemburgo, pelo menos no Corinthians. Aí, num outro momento tem Nelsinho, Jorge Vieira, todo mundo meio que empatado. Mas acho que o quinto seria Nelsinho, pois ganhou o primeiro dos Brasileiros, e foi algo bem importante – apesar de ter caído também. O time de 90 não era bom tecnicamente, mas sobrava e tinha muito da mão dele.

OS OUTROS DA HISTÓRIA

Oswaldo Brandão
Pelo Timão, ganhou os Paulistas de 1954 (do IV Centenário) e de 1977, que encerrou o jejum de 23 anos sem título importante. Gaúcho de Taquara, mor-reu em julho de 1989, com 72 anos.

Vanderlei Luxemburgo
Carioca de Nova Iguaçu, trabalhou no Corinthians duas vezes. Na primeira, foi campeão brasileiro em 1998. Na segunda, ganhou o Paulista de 2001.

Nelsinho Batista
Paulista de Campinas, comandou o Timão por três vezes. Na primeira passagem, ganhou o primeiro Brasileirão do clube, em 1990. Na última, em 2007, treinou o time nos dez últimos jogos e foi rebaixado.

Você comentarista: