Após acidente no Mané Garrincha, consórcio pode assinar termo de ajuste

Ministério Público do Trabalho propõe mudanças na conduta de prevenção de acidentes

Léo Burlá - 08/08/2012 - 08:05 Rio de Janeiro-RJ

O Consórcio Brasília 2014, responsável pelas obras no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, foi intimado a comparecer na sexta-feira no Ministério Público do Trabalho no Distrito Federal (MPT-DF), para assinar Termo de Ajuste de Conduta (TAC) referente à morte de um operário e ao acidente que feriu cinco trabalhadores no canteiro, segunda-feira.

Na última terça, Valdir Pereira da Silva, procurador do MPT, esteve no estádio para uma diligência. Pereira aguarda laudos da perícia técnica e relatórios da Superintendência Regional do Trabalho para atualizar a redação do termo.

Sexta passada, as construtoras Via Engenharia e Andrade Gutierrez não se disseram convictos para firmarem o compromisso. Agora, com o desabamento da viga que feriu cinco trabalhadores, o consórcio terá nova chance de se ajustar às condições de melhorias na segurança que serão propostas. Caso não aceite, uma ação pode ser ajuizada na Justiça do Trabalho de Brasília.

– Adotaremos 100% de conduta para prevenirmos e evitarmos acidentes. Se assinarem e não cumprirem, as multas são pesadas. Se não assinarem, cabe até ação – disse o procurador Valdir Pereira ao LANCENET!.

João Oreste Dalazen, presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e idealizador da campanha pelo trabalho seguro nas obras dos estádios da Copa, não foi encontrado para comentar os fatos.

Você comentarista: