Seedorf já tem estratégia definida para Copa do Mundo

Em entrevista ao L!NET, craque holandês e homem de negócios adianta que plano para captar investidores está traçado

Raphael Bózeo, Rodrigo Lois, Tiago Pereira e Vinícius Perazzini - 29/07/2012 - 10:00 Rio de Janeiro (RJ)

Seedorf e Mauricio Assumpção - Botafogo (Foto: Fernando Soutello/AGIF)

Uma das razões para o acerto entre Seedorf e Botafogo foi o interesse do holandês nas oportunidades econômicas que já surgem e estão por vir no Brasil por conta da próxima Copa do Mundo, de 2014. Em entrevista exclusiva ao LANCENET!, o jogador falou sobre o assunto e revelou que seu staff já tem uma estratégia definida para aproveitar essa possibilidade.

- A Copa tem potencial para mudar muitas coisas. É uma oportunidade importante para o Brasil. Com esse evento, e depois com a Olimpíada no Rio de Janeiro, as portas serão cada vez mais abertas. Com o meu time, elaboramos uma estratégia bem definida para captar no mundo do esporte, e do business em geral, aspectos que podem ser elevados no país - disse.

Em muitas dessas chances o atleta terá a parceria da DM Milan Group, companhia especializada em marketing de escala global e gerenciadora de sua carreira. Como o L!NET havia revelado anteriormente, a ideia é ajudar marcas brasileiras a ganharem destaque também no exterior. 

Com formação na Universidade Comercial Luigi Bocconi, instituição referência no campo dos negócios, e dono de diversas empresas espalhadas pelo mundo, Seedorf ainda não conseguiu rearrumar sua rotina de trabalho fora do futebol e encontrar um local ideal para ter seu escritório.

- Ainda não estou no meu ritmo normal. Tenho empresas pelo mundo, também quero entrar nesse ritmo de trabalho com os fusos horários. Não tem nada preparado ainda (risos). Estou procurando um lugar para as minhas atividades, dar sequência ao que tenho. Preciso de internet e em casa ainda não tenho acesso - comentou o craque holandês.

Isso porque boa parte do tempo além-Botafogo tem sido investido no campo particular. Principalmente, na adequação da família ao Rio.

- Ainda estamos nos preparando, como família, para entrar no ritmo do dia a dia. Acho que só vai começar de verdade quando as crianças entrarem na escola. E para isso ainda falta uma semana. A parte do meu trabalho pelo Botafogo já está indo bem, mas há muitos aspectos da vida familiar nos quais preciso de mais tempo - afirmou o mais novo "carioca".

Você comentarista: