ÍDOLOS

HELENO DE FREITAS
Boêmio e de temperamento explosivo, o centroavante é considerado o primeiro craque problema do futebol. Apesar disso, sua genialidade dentro de campo não é posta em dúvida. Atuou no clube entre 1937 e 1948 e marcou 204 gols em 233 jogos.

NILTON SANTOS
Conhecido como a "Enciclopédia do Futebol", o lateral-esquerdo marcou época no Botafogo e na Seleção Brasileira, o que o fez ser escalado na seleção do século de todos os tempos da FIFA. O único clube que Nílton Santos defendeu foi o glorioso, atuando em 723 jogos e marcando 11 gols, entre 1948 e 1964.

GARRINCHA
O "Anjo das Pernas Tortas" pode ser considerado o mis famoso ídolo do clube. Famoso pelos seus dribles na ponta-direita do ataque, Garrincha ignorava qualquer marcação e levava os torcedores ao delírio. O jogador também faz parte da Seleção de todos os tempos da FIFA. O jogador defendeu o Alvinegro entre 1953 e 1965, atuou em 612 prtidas e marcou 243 gols.

QUARENTINHA
O centroavante é o maior artilheiro da história do clube, com 313 gols em 442 jogos. Era famoso pelo seu chute forte e por não comemorar seus gols, pois os considerava uma obrigação. Atuou no Botafogo entre 1954 e 1964.

DIDI
Com classe e elegância, Didi comandava o meio-de-campo do Botafogo. O meia foi o inventor da "folha seca", um tipo de efeito que ele colocava na bola ao chutá-la. Disputou 313 partidas e marcou 114 gols. Teve três passagens pelo clube no final dos anos 50 e inicio dos 60.

ZAGALLO
Na década 50, Zagallo já mostrava sua visão tática que o consagrou como técnico. Foi um dos primeiros pontas a voltar para ajudar o lateral na marcação. Vestiu a camisa do Botafogo entre 1958 e 1965, disputou 299 jogos e marcou 22 gols.

MANGA 
Considerado o melhor goleiro da história do Botafogo. Antes dos clássicos contra o Flammengo, o goleiro costumava dizer que o "bicho" (premiação pela vitória) estava garantido. Disputou 442 jogos pelo Alvinegro entre 1959 e 1968.

AMARILDO
Habilidoso e oportunista, Amarildo se destacava pela sua raça dentro de campo. Na copa de 1962, substituiu Pelé, que havia se machucado, a altura, ajudando o Brasil a conquistar o Bi mundial. Disputou 201 jogos pelo Botafogo e marcou 136 gols entre 1958 e 1963.

JAIRZINHO
O "Furacão da Copa de 70" chamava a atenção pela sua técnica e força física. Chegou ao time profissional do Botafogo em 1965, com 19 anos, com a missão de substituir Garrincha no ataque do time. Atuou entre 1962 e 1974 e, depois, entre 1981 e 1982. Em 413 partidas pelo Alvinegro, marcou 186 gols.

 GÉRSON
Conhecido como "Canhotinha de Ouro", Gérson mostrava categoria e visão se jogo no meio-de-campo do Botafogo, durante a década de 70. Jogou no Botafogo entre 1962 e 1969, marcando 96 gols em 248 jogos.

PAULO CESAR CAJU
Chegou ao time profissional do Botafogo em 1967, com 18 anos. Na sua primeira temporada, se destacou a marca três gols na decisão da Taça Guanabara, em que o Botafogo sagrou-se campeão em cima do América. Teve duas passagens pelo Alvinegro: uma entre 1967 e 1972 e outra entre 1978 e 1979. Atuou em 264 jogos e marcou 83 gols.

 MARINHO
Conquistou a torcida Alvinegra na década de 70, com seu ímpeto ofensivo e os gols de falta. Atuou no Botafogo entre 1972 e 1976, disputou 183 jogos e marcou 39 gols.

TÚLIO MARAVILHA
O último grande ídolo do clube, foi um dos principais responsáveis pelo título de Campeão Brasileiro em 1995, quando foi o artlheiro da competição ao marcar 23 gols. Túlio marcou 159 gols em 223 jogos. Teve três passagens pelo Botafogo entre 1994 e 2000.

LEÔNIDAS DA SILVA
Apelidado de "Diamante Negro", o atacante é o inventor da "bicicleta". Pelo Botafogo, foi campeão carioca em 1935, o quarto título do tetracampeonato entre 1932 e 1935. Defendeu o clube em 1935 e 1936, disputou 38 jogos e marcou 22 gols.

 MAURÍCIO
O atacante ficou eternamente marcado na história do clube ao marcar o gol da vitória por 1 a 0 sobre o Flamengo, conquistando o Campeonato Carioca de 1989, livrando o Alvinegro de um jejum de 21 anos sem se sagrar campeão.

CARLOS ALBERTO TORRES
Um dos maiores laterais-deireito da história do futebol brasileiro, se destacou pela seleção na copa de 1970, marcou o quarto gol da vitória sobre a Itália na final da Copa e levantou o título como capitão. Atuou pelo Botafogo em 1971.

 LOCO ABREU
Artilheiro e supersticioso. Loco Abreu chegou ao Botafogo em 2010 e logo conquistou a torcida alvinegra com muita raça, gols e fortes declarações. Sacramentou seu nome na história do clube ao marcar um gol de pênalti, com cavadinha, sobre o maior rival, o Flamengo, no jogo que valeu o título carioca de 2010. Atuou em 101 partidas e fez 62 gols.