Médico de Cielo chega ao Botafogo com filosofia de rendimento olímpico

Gustavo Magliocca se anima com projeto do clube e conta emoção após primeira reunião

Vinícius Perazzini - 27/12/2012 - 17:17 Rio de Janeiro (RJ)

Gustavo Magliocca (Foto: Divulgação)

Acostumado a lidar com o aperfeiçoamento de atletas rumo ao ouro olímpico, o médico Gustavo Magliocca, renomado especialista em medicina do esporte, foi contratado pelo Botafogo para coordenar a equipe médica do futebol profissional e está empolgado com o novo desafio. Médico do nadador Cesar Cielo e da Seleção Brasileira de natação em 2012, Magliocca conversou com a reportagem do LANCE!Net, revelando ter se encantado com a filosofia de trabalho proposta pelo Glorioso.

- Primeiramente, fico lisonjeado pelo convite ter sido do Botafogo, um clube estruturado. Enquanto outros clubes tem que se preocupar com montagem de elenco, o Botafogo procura aperfeiçoar a estrutura e por isso dá um passo inovador, buscando no esporte olímpico a questão da prevenção de lesões. A filosofia do Botafogo em querer prevenir, ao invés de cuidar das lesões depois de consumadas, é algo fundamental - disse Gustavo Magliocca.

Apesar da ida para o Botafogo, Gustavo Magliocca seguirá como membro do PRO 16 (Projeto Rumo ao Ouro 2016), que tem preparado uma espécie de "time dos sonhos" da natação brasileira em treinamentos de alto nível.

- Minha prioridade é o Botafogo, pois é uma responsabilidade grande, mas o PRO 16 não vai interferir no clube - destacou Magliocca, que já pensa como trabalhar os jogadores alvinegros.

- Na natação, trabalho para que um atleta ganhe do outro por milésimo de segundo. Então, quanto mais saúde o jogador tiver, melhor será o desempenho dele. As palavras-chave são prevenção e recuperação, sem deixar dar a lesão. Sei que a rotina do jogador de futebol é diferente da que tem um atleta olímpico, mas vamos conseguir nossos objetivos - destacou.

Gustavo Magliocca está em São Paulo e tem previsão de chegada ao Botafogo para o início dos trabalhos em 2 de janeiro. A data será marco de uma retomada para o médico.

- Antes de entrar nos esportes olímpicos, trabalhei nas categorias de base do Palmeiras. Agora, no Botafogo, minha primeira reunião foi perto da sala de troféus do clube, onde tem fotos do Garrincha e do Nilton Santos. Foi algo emocionante. Agora, voltando para o futebol, estou retomando um sonho. Os olhos do planeta se voltarão para o futebol brasileiro já neste ano e ações inovadoras como a do Botafogo vão repercutir pelo mundo - comentou.

Você comentarista: